Publicidade
Cotidiano
SAZONALIDADE

Vírus causador da bronquiolite e pneumonia está em alta circulação na região Norte

Em Manaus existem quatro polos que aplicam a injeção de anticorpos gratuitamente; confira na matéria 14/01/2018 às 05:00
Show vdvsdvd
Fotos: Divulgação/Reprodução
Tiago Melo Manaus (AM)

Febre baixa, tosse e coriza anunciam que um resfriado está chegando, não é? Nem sempre. Facilmente confundido com uma gripe, o Vírus Sincicial Respiratório (VSR) está em sua temporada de alta circulação na Região Norte do Brasil e todo cuidado é importante, especialmente com as crianças. O vírus, responsável pela maior parte dos casos de bronquiolite e pneumonias nos pequenos, circula em cada região em diferentes épocas do ano e pode ser fatal em bebês prematuros. 

Segundo a pediatra neonatologista Briza Rego Rocha, o vírus, que possui caráter sazonal, pode existir o ano inteiro, mas entre os meses de fevereiro a junho ele circula com mais evidência no Norte do País por conta do frio e das chuvas, e nas demais regiões durante o outono e o inverno.

“O VSR é o agente causador de 75% dos casos de bronquiolites e 40% das pneumonias, além de ser um dos principais responsáveis por problemas respiratórios em bebês de zero a 2 anos. Para bebês prematuros, pode causar infecções respiratórias graves, hospitalizações recorrentes, com necessidade de ventilação mecânica. Já em crianças acima de dois anos e adultos saudáveis causa sintomas semelhantes aos de um simples resfriado”, afirma ela. 

Infelizmente, o VSR, assim como a maioria dos vírus, não possui tratamento. A boa notícia, contudo, é que ele pode ser evitado. “Bebês prematuros (nascidos com menos de 29 semanas) portadores de cardiopatia congênita, podem receber a imunização contra o VSR pelo SUS. A imunização contra VSR também passou a ser incluída nos procedimentos obrigatórios oferecidos por planos de saúde privados, segundo atualização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)”, explica a especialista.

De acordo com ela, “para esse grupo específico, um tratamento injetável à base de palivizumabe, tipo de anticorpo com ação neutralizante e inibitória do vírus, deve ser administrado entre os meses de janeiro e maio, quando a incidência de VSR é maior na região. O anticorpo dura 30 dias dentro do organismo e, ao todo, são injetadas cinco doses de forma intramuscular, sendo uma a cada mês”.

Cabe destacar que em Manaus existem quatro polos de atendimento que aplicam a vacina gratuitamente. São eles: Maternidade Ana Braga (Alameda Cosme Ferreira, Aleixo), Maternidade Estadual Balbina Mestrinho (Av. Duque de Caxias, Praça 14 de Janeiro), Instituto da Mulher e Maternidade Dona Lindu (Av. Mário Ypiranga Monteiro, Adrianópolis) e Maternidade Doutor Moura Tapajóz (Av. Brasil, Compensa).

Entendendo o risco

“Bronquiolite e pneumonia são suas formas frequentes de manifestação de infecção causada por VSR. A longo prazo, uma das suas consequências mais comuns é o chiado recorrente no peito, que pode perdurar até os 13 anos de idade. Não há tratamento específico para a infecção por VSR e, por isso, medidas profiláticas para evitar o contágio e a transmissão do vírus são essenciais”, conclui a Dra. Briza Rocha.

Estatísticas preocupantes

Conforme dados da Organização Mundial da Saúde, o Brasil está entre os 10 países com maior número de nascimento de bebês prematuros, índice que coloca o País em posição semelhante aos de baixa renda.  O VSR é duas vezes mais comum que o rinovírus, segundo dados do estudo BREVI, que acompanhou por um ano 303 bebês nascidos com (ou abaixo de) 35 semanas de gestação, em três centros de pesquisa (Porto Alegre, Curitiba e Ribeirão Preto).

Saiba mais

Além dos anticorpos, entre as medidas preventivas incluem-se lavar as mãos frequentemente e sempre antes de tocar no bebê (o vírus permanece vivo nas mãos por mais de uma hora); evitar aglomerações; higienizar sempre os objetos do bebê (em superfícies não porosas, o VSR pode sobreviver por mais de 24 horas); evitar o contato do bebê com crianças mais velhas e adultos com sintomas de resfriados ou gripes e também evitar contato com fumantes e ambientes poluídos. 
 

Publicidade
Publicidade