Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020
NEGÓCIOS

TV por assinatura e streaming registram crescimento durante quarentena

O grande número de pessoas dentro de casa fez aumentar a demanda pelos serviços. Plataforma Netflix chegou a 16 milhões de assinantes



1663738_BC788F1D-FD29-4668-B123-8129BBBE1BC5.jpg Foto: Divulgação/Pixabay
04/05/2020 às 18:09

Com todo mundo em casa, o jeito é se entreter com o que dá. Na tela do celular, computador ou televisão, um filme ou série para passar o tempo. Durante o isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os serviços de TV por assinatura e streaming tiveram um salto.

Na semana de 5 a 11 de abril, o brasileiro assistiu diariamente, em média, 7h54 de conteúdo televisivo, o que significa um aumento de 1h20 em relação à primeira semana de março - antes, portanto, da quarentena.



A região Sul é a grande campeã de audiência, com aumento de 1h31, seguida pela Nordeste (+1h23), Sudeste (+1h20), Centro-Oeste (+1h18) e Norte (+59min). Os dados são da pesquisa Kantar Thermometer.

De acordo com a pesquisa, a TV por assinatura registrou aumento de 20% na audiência entre os assinantes, na comparação entre a semana de 1 a 8 de março em comparação com 5 a 11 de abril.

Um dos principais fatores são a abertura de canais para o público e o grande interesse da população em se informar e buscar novas formas de entretenimento dentro de casa, a TV por assinatura se firma como opção.

Além do crescimento na audiência dos canais exclusivamente jornalísticos, a pesquisa destaca o aumento nos canais de Filmes & Séries (+47%), Documentários & Factuais (+25%) e Lifestyle (+23%).

Antes da pandemia, o cenário não era favorável para este setor. Dados de fevereiro da Anatel apontaram que a TV por assinatura está presente em 15,5 milhões de domicílios no Brasil. Esse número é 10,9% menor que o registrado há 1 ano. Em fevereiro de 2019, eram 17,4 milhões de casas com acesso ao serviço de TV paga.

Os números ainda não levavam em conta o cenário instaurado pela pandemia.

Streaming

O Kantar Thermometer apontou ainda os reflexos do isolamento social no streaming e nas redes sociais, com destaque para a estreia da quarta temporada da série La Casa de Papel. As interações no Twitter cresceram 27% em relação à temporada anterior, com mais de 78.500 autores de tuítes - o que indica um maior consumo da série e do buzz em torno dela.

Enquanto a TV paga no Brasil apresentou queda em 2019, os números da Netflix só aumentaram. A gigante mundial de streaming beira os 16 milhões de assinantes.

Pesquisa do Instituto de Pesquisa & Data Analiytics Croma Insights mostrou que os canais de streaming vídeo (76%) e áudio (46%) continuam em crescimento durante a pandemia, visto que as empresas continuam a oferecer benefícios e programação exclusiva especialmente para as crianças.

Audiência

Levantamento realizado pela Claro mostrou aumento de 36% de audiência na TV por assinatura, em comparação com a média geral. O crescimento teve início a partir do dia 12 de março, um dia após a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretar pandemia do novo coronavírus.

A pesquisa da Claro revelou ainda outros números de destaque, como:

- Aumento de 118% da audiência de canais jornalísticos. O número evidencia o crescimento da demanda por fontes confiáveis de notícias, em um momento em que a quarentena impôs um novo cotidiano a população;

- Crescimento de 35% da audiência de canais infantis;

- Canais relacionados a filmes e séries tiveram um crescimento de 61% na audiência.

Em consequência do aumento, a Claro identificou que cada cliente que faz uso do Now, serviço de streaming da operadora, consome cerca de 114 minutos por dia, o equivalente à média de duração de um filme.

No geral, isso representa uma evolução de 61% dos minutos assistidos na plataforma.

Entre os conteúdos de destaque da plataforma durante a quarentena está “Minha Mãe É Uma Peça 3”, que bateu o recorde de locações nos sete primeiros dias após entrar no Now, ultrapassando “Vingadores: Ultimato”.

Além disso, o filme “Contágio”, lançado em 2011, está entre os mais assistidos na plataforma desde o início do isolamento social.

Séries para praticar inglês

Personagem: Willon Ferreira, estudante de engenharia

Em dias normais, Willon Ferreira, 25, investia um tempo médio diário de uma hora em plataformas de vídeo. Durante a pandemia, esse tempo aumentou para algo em torno de quatro a cinco horas.

“Antes eu utilizava somente nos tempos vagos. Agora, eu assisto séries e filmes depois que realizo todas as atividades do dia ou durante as refeições”, conta.

O tempo que ele investe online é dividido entre Netflix, Amazon, Udemy e Youtube, estes dois últimos ele usa para estudar. O estudante de engenharia de software tem aproveitado para ver os vídeos em inglês, para praticar a língua.

“Até quando estou assistindo séries tenho buscado por atividades que gerem algum aprendizado”, afirmou. Willon tenta manter a disciplina para não desperdiçar seu tempo.

Na família, uma questão fica em voga. Qual é a melhor: Amazon ou Netflix? “Meu pai e irmão curtem mais Netflix. Eu sou mais fã da Amazon”.

Prediletos da audiência

Os conteúdos infantis também ganharam espaço no streaming e, desde meados de março, foram cerca de 12 milhões de streaming, liderados por "Peppa Pig".

De acordo com ranking da Claro, os cinco filmes mais assistidos na quarentena são: Minha Mãe É Uma Peça 3; Contágio; Velozes e Furiosos: Hobbs e Shaw; Parasita; John Wick: Um Novo Dia Para Matar.

Já as cinco séries mais assistidos na quarentena são: The Walking Dead; Outlander; Game Of Thrones; Lost e This Is Us.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.