Terça-feira, 24 de Novembro de 2020
CURSOS TÉCNICOS

Oferta de vagas de educação profissional aumentará 64% no Cetam

Diretor-presidente José Augusto de Melo Neto defende que a educação profissional pode e deve atuar na linha de frente das respostas à crise causada pela Covid-19. Confira entrevista.



Jos__Augusto_de_Melo_Neto_D76B2F99-0085-487D-A58B-995CBAC32DA2.jpeg
14/11/2020 às 11:20

O ano atípico, diante de uma pandemia que mudou a rotina do mundo, interrompeu aulas e adiou o retorno de atividades presenciais, não desanimou a direção do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). A ideia é manter o otimismo, traçar metas e trabalhar para que a educação profissional na capital e interior do Estado continue a crescer. Nessa entrevista, o diretor-presidente do Cetam, Prof. Dr. José Augusto de Melo Neto, fala das medidas adotadas para vivenciar o novo normal, sem oferecer risco a alunos e servidores de se contaminarem com a Covid-19. Ele também revela estar planejando ampliar, em 64%, a oferta de vagas para os próximos dois anos, além de aumentar em 20% o número de cursos, que chegaria a 500 em 2021. Confira os principais trechos:

O senhor reassumiu a direção do Cetam dia 21 de setembro, em plena pandemia. Qual foi o cenário encontrado?



O Governo do Amazonas adotou protocolos de segurança sanitária e estava retomando as atividades presenciais nas escolas da capital quando retornei à instituição. Não foi diferente no Cetam, que cuida da oferta de cursos na área da educação profissional. Claro que houve um impacto negativo nos números de atendimento deste ano pela interrupção, mas o retorno seguro já havia sido iniciado em Manaus.

As aulas na capital foram retomadas dia 3 de agosto. O que o Cetam tem feito para se adaptar a essa nova realidade sem oferecer risco de contaminação a alunos e servidores?

Desde a retomada gradual das aulas presenciais na capital, o Cetam vem adotando as medidas previstas no Protocolo de Prevenção e Proteção à Covid-19. Além disso, realizamos a testagem em todos os servidores da autarquia e aumentamos o controle na entrada das unidades. Ainda não foi possível retomar os cursos na área de estética, pois estamos aguardando uma norma específica da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVG-AM).

E como está a situação das aulas no interior do Amazonas? Tem previsão do retorno das atividades presenciais?

A previsão de retorno das aulas presenciais nos municípios do interior depende da autorização do órgão sanitário responsável, a FVS. Além disso, o retorno da educação básica e superior está sendo alinhado com a Seduc (Secretaria de Estado de Educação e Desporto), UEA (Universidade do Estado do Amazonas), nossas parceiras. Também levamos em consideração a realidade de cada prefeitura municipal. Nossos gerentes acadêmicos e representantes de cada município estão replanejando as ações. Nenhum curso será cancelado, mas o retorno vai ser realizado de forma segura e responsável.

Quais seus planos para o restante de 2020 e para os próximos dois anos frente à instituição?

Vamos garantir, por meio do realinhamento das ações, o que estava previsto no plano de governo, que é a expansão do atendimento do Cetam, com foco na empregabilidade. A meta é ampliar em 64% o número de vagas ofertadas nos próximos dois anos. Manteremos todos os cursos atuais, mas também vamos nos aproximar das novas matrizes econômicas de cada região para fomentar o acesso ao emprego e renda por meio da qualificação profissional.

Tem uma estimativa de oferta de vagas voltadas à capital e interior do Amazonas?

Sim. O total de vagas será de 300 mil até 2022, sendo divididas entre os cursos FIC (Formação Inicial e Continuada) e cursos técnicos de nível médio (Fortec) para todos os 62 municípios do estado. Para isso, precisamos da captação de mais recursos para a educação profissional por meio de parcerias, aportes de PD&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) e mais projetos para o Cetam.

Algum curso novo previsto no catálogo para 2021 e 2022?

Estamos atualizando e ampliando o catálogo de cursos profissionais do Cetam, que deve chegar a 500 cursos em 2021. Isso significa 20% de crescimento nas opções. Para viabilizar esta ação de forma efetiva estamos levantando as demandas com consulta pública e parcerias interinstitucionais.

E sobre a unidade do Cetam zona Norte? Como está a obra e qual a previsão de entrega?

Esta nova unidade do Cetam será a primeira escola de educação profissional pública da zona Norte de Manaus. Ela será entregue pelo Governo do Amazonas até março de 2021. São 3.555,12m² de área construída no conjunto Galileia, bairro Nova Cidade.

Essa escola ofertará quais cursos e quantos alunos dessa área da cidade serão beneficiados por ano?

A capacidade de atendimento é de até 4.560 vagas/ano. São 12 laboratórios técnicos, sendo quatro voltados a oficinas de artesanato, dois para aulas de culinária, quatro para oficinas de imagem pessoal e dois para cursos de corte e costura. A escola terá um salão de beleza para atividades práticas das turmas dos cursos de Cabeleireiro, Corte e Escova de Cabelo, Colorimetria, Barbearia, Depilação, Design de Sobrancelhas, entre outros. Além dos cursos sociais, teremos três laboratórios de Informática e biblioteca.

Qual o papel do Cetam neste novo cenário pós-pandemia?

A educação profissional pode e deve atuar na linha de frente das respostas à crise causada pela Covid-19. Com a retomada das atividades e, consequentemente, o período de recuperação das atividades econômicas, a demanda dos cursos técnicos e de qualificação deve aumentar. O Cetam está enfrentando esses novos desafios de forma flexível para atender as habilidades técnicas necessárias dos alunos. Precisamos de infraestrutura técnica mas, sobretudo, de pessoal qualificado. A educação profissional não pode parar.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.