Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021
Culinária

Chef amazonense participa do reality Top Chef Brasil

A amazonense Ana Galotta venceu os desafios do primeiro episódio do programa e segue na disputa pelos R$300 mil



WhatsApp_Image_2021-09-27_at_16.00.00_D5D7FA26-E871-49D3-A3DD-5EB1E399ECA4.jpeg Em Manaus, Ana é chef da Padoca - Pães Artesanais (Foto: Divulgação)
28/09/2021 às 16:45

A chef de cozinha amazonense Ana Galotta disputa o prêmio de R$ 300 mil com outros 15 chefs que participam da terceira temporada do reality de culinária Top Chef Brasil, da Record TV. A nova edição estreou na sexta-feira passada (24) e toda semana vai ao ar um novo episódio, às sextas, logo após “A Fazenda 13”. O programa é comandado pelos jurados Felipe Bronze, a crítica de gastronomia Ailin Aleixo e o chef Emmanuel Bassoleil.

A amazonense contou ao A CRÍTICA um pouco sobre a proposta do reality e garante que o entretenimento vai além da cozinha. Além da apresentação de dotes culinários, o programa permite que os telespectadores acompanhem a vida dos 15 participantes que ficam confinados na casa Top Chef, onde passam a maior parte do tempo.

“Os participantes moram numa casa, isolados do mundo, sem celular, sem televisão, confinados mesmo. Dali a gente vai para o estúdio, faz as provas de culinária e a cada episódio um cozinheiro é eliminado”, explica Galotta.

Dinâmica e desafios

A dinâmica do programa é baseada nos desafios enfrentados pelos participantes: um deles é o teste de fogo, que é realizado em dupla ou equipe. Aqueles que vencerem essa primeira etapa podem comemorar, pois não participam da prova de eliminação – e a próxima semana no reality está garantida.

A chef manauara levou a melhor logo no programa de estreia. Ana e a equipe ganharam a prova de abertura do reality, que demandava a atividade de debulhar milho. “Melhor trabalho: [suspense] Ana Galotta! Realmente você fez mais caprichoso, você conseguiu tirar o milho quase intacto”, elogiou o chef Emmanuel Bassoleil.

Após a prova de abertura, os concorrentes se prepararam para a prova de fogo: o famoso revezamento às cegas, com o time verde versus time vermelho. O desafio era preparar pratos contemporâneos brasileiros. O time de Ana ganhou e a vitória livrou a equipe da prova de eliminação.

Segundo a chef amazonense, a seleção para participar do programa é feita por meio de inscrições e, após isso, o cozinheiro que deseja fazer parte do reality gastronômico passa por várias outras etapas, como: entrevistas, provas online, desafios e questionários. “São muitos cozinheiros que se inscrevem, é muito difícil entrar no programa”, declara Galotta.

Estreia

Na disputa inicial, cada time era composto por sete participantes, mas apenas três cozinheiros de cada time escolhiam e começavam o menu. A partir disso, os três tinham 30 minutos para cozinhar, mas não podiam ter comunicação com as outras quatro pessoas da equipe. Passados os 30 minutos, outros dois integrantes entravam no game e, sem nenhum tipo de comunicação com quem já tinha iniciado o prato, descobriam na hora o que estava sendo feito e davam continuidade à receita.

O primeiro eliminado da semana foi o chef Felipe Salles, integrante do time vermelho. O prato autoral preparado por ele, na prova de eliminação, não agradou aos jurados.

Perfil

A chef de cozinha Ana Cristina Galotta nasceu em Manaus, no Amazonas, e iniciou a carreira em 2013, em um restaurante de culinária japonesa. Atualmente é sócia-proprietária e chef da Padoca - Pães Artesanais. A empresária de 32 anos, também participou do reality show Hell's Kitchen BR4 e foi ganhadora dos prêmios Enchefs AM 2015 e Dolmã 2016.



Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.