Quarta-feira, 12 de Maio de 2021
ARTISTA DA TERRA

De Eirunepé para a França: a história do artista amazonense que se reencontrou na pintura

Inspirados no realismo de Da Vinci e Michelangelo, os quadros do artista Israel Nascimento, de 24 anos, já são objeto de desejo até mesmo de compradores franceses



aaa82e3a-0dc5-4a83-9037-10ea03afaa53_F1A851AA-3B4D-441C-A284-69A62D3E77CE.jpg Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
08/02/2021 às 15:53

A paixão pela pintura veio de berço. É o que relembra o artista visual e designer, Israel Nascimento, de 24 anos. Natural de Eirunepé, o artista conta que desde os seis anos admirava a habilidade que seus irmãos tinham com a arte, principalmente pelo irmão Ivan Nascimento, que também é artista e designer.

"Tudo começou quando tinha 6 anos de idade. Tenho cinco irmãos. E desde cedo, meus irmãos tinham essa habilidade com pintura e desenho. E alguns até conseguiram viver com a pintura. Tudo começou por influência deles. Eu gostava muito de pintar e desenhar. Eu era bem pequeno e tentava fazer as mesmas coisas que eles. Eu me irritava muito porque gostava de fazer as coisas bem feito. Lembro que eu chorava de raiva porque eu não conseguia desenhar como eles. Mas aos poucos fui praticando e evoluindo", relembra Israel.




O jovem artista conta que, ao longo dos anos dando suporte ao irmão, a escolha da pintura como profissão foi ficando cada vez mais forte. Foto: Arquivo Pessoal.

"Desde muito cedo eu tive a certeza que eu queria viver de pintura. Comecei a pintar para as igrejas, para minha família, na escola. Teve um tempo em que irmão prestou serviços para a prefeitura de Eirunepé, onde cuidou de toda a parte artística da cidade e eu fui ajudá-lo. A gente pintava algumas telas para expor na cidade com temas específicos. Eu achava isso fascinante. Lembro que saíamos muito cedo de casa, cinco, seis horas da manhã e chegávamos em casa duas da manhã do outro dia. Eu dormia em cima das pinturas de cansaço. Lembro que chegava em casa e só os meus olhos não tinha tinta. Mas isso era muito prazeroso para mim. Meu irmão me ajudou muito. Ele foi meu primeiro mestre", contou o amazonense.

Apesar de se sentir bem com a pintura, Israel percebeu que viver de arte no Norte é algo desafiador. O artista, já morando em Cruzeiro do Sul, no Acre, pintava diversas telas e recebia um valor bem abaixo do esperado, chegando até abandonar a pintura. Após isso, se mudou para a capital amazonense, onde começou a trabalhar como designer gráfico.

"O tempo foi passando e eu fui me frustrando muito, pintava telas para as igrejas e eu recebia um valor muito baixo. É comum essa desvalorização. Com 16 e 17 anos eu parei de pintar. Consegui um trabalho como designer gráfico e esse sonho de querer viver de pintura foi morrendo. Devido essa decepção da vida, fui para Manaus, morei dois anos na capital. Passei oito anos sem tocar em uma tinta", destacou Nascimento.


Foto: Arquivo Pessoal

O reencontro com a arte

Questionado se o motivo da mudança para Paris foi para se reencontrar com a pintura, Israel conta que não imaginava que fosse voltar a pintar, mesmo sabendo que a França é um dos "berços" da arte moderna no mundo.

"Minha irmã mora há 12 anos na França. Eu vim pela curiosidade de respirar novos ares. Não levei em consideração que aqui é o berço da arte, com muitas referências no meio artístico. Quando cheguei aqui em janeiro de 2019, eu ia pra loja de produtos espanhóis da minha irmã. Em um dia, chegou um cliente francês e minha irmã me apresentou a ele, mostrou os meus trabalhos. E ele perguntou se eu queria pintar algumas telas para ele. E foi nesse dia que peguei meu primeiro trabalho na França como pintor", recordou o artista.

Do ano passado para cá, Israel Nascimento já pintou mais de 100 telas para este cliente francês, que segundo ele, participa de uma associação de artistas, em que cada encomenda solicita de 4 a 5 quadros com temas específicos.

"Eu pinto telas temáticas. Esse cliente passa um assunto específico e eu pinto telas para ele. Ele pede em grande quantidade. Em menos de um ano que essa paixão renasceu no meu coração de novo. Porque eu levei em consideração, a questão de estar na França. Percebi que aqui é possível ter retorno financeiro com a pintura. As pessoas valorizam muito o trabalho da arte. Vou aproveitar essa oportunidade para me dedicar a pintura e fazer o que eu amo", pontuou Israel.

Estilo artístico e influências

Ainda que suas obras referirem ao realismo de Leonardo da Vinci e Michelangelo, Israel conta que busca adotar também o abstracionismo em suas pinturas. Pois segundo ele, a junção dos dois movimentos não limita sua criatividade.

"Eu evito seguir uma obra ou artista específico porque isso acaba me limitando criativamente. Minhas inspirações vem de estar em lugares diferentes, aleatórios. Uma coisa que minha mãe me falava quando pequeno, hoje faz muito sentido para mim: não faz bem a gente voltar pelo mesmo caminho. Hoje, eu interpreto como um jeito de explorar outros lugares, conhecer outros lugares", descreveu o artista.

Projetos futuros

Mesmo que ainda esteja no começo, Israel Nascimento pretende continuar se aprimorando suas técnicas na pintura. O amazonense também registra o processo de criação e produção de suas obras nas redes sociais do Instagram e Youtube. Israel conta que pretende desenvolver uma série de obras inspiradas no Amazonas, onde viveu grande parte de sua vida.

"Meu sonho é me sentir realizado profissionalmente, aperfeiçoar minhas técnicas para poder ter reconhecimento. Quero ser conhecido pelo meu trabalho. E depois de tudo isso, quero passar tudo o que aprendi para as pessoas. Gosto muito de filmar o processo criativo e a produção dos meus trabalhos. Vejo que isso chama a atenção das pessoas. As pessoas entendem como funciona e naturalmente valorizam mais. Pretendo continuar mostrando o processo das obras no meu canal do Youtube. Quero mostrar às pessoas. Além disso quero uma série de telas inspiradas no Amazonas, do que eu vivi na infância", concluiu Israel.

 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.