Quarta-feira, 21 de Abril de 2021
Paleontologia

Museu inaugura exposição inédita com 'gigantes' extintos da Amazônia

A exposição do Museu da Amazônia (Musa) conta com fragmentos fósseis e reprodução de esqueletos com mais de 13 metros de comprimento que viveram até 110 milhões de anos atrás



musa_01_2EDA2C1C-CB4A-4B6E-8804-94A2D9BC46DA.jpg Foto: Reprodução/Musa
03/04/2021 às 14:13

A Amazônia já foi terra de gigantes. Pela primeira vez no Brasil, a exposição "Passado Presente - Dinos e Sauros da Amazônia" do Museu da Amazônia (Musa) contará a geo-história e paleontologia da Amazônia de uma forma especial: com a apresentação de fragmentos fósseis inéditos e a reprodução em tamanho real dos esqueletos.

Dentre os animais em exibição, destacam-se o Purussaurus brasiliensis, um parente dos jacarés que viveu a cerca de 7 milhões de anos atrás e que chegava a 13 metros de comprimento, sendo portanto, o maior crocodiliano do mundo; o dinossauro saurópode chamado Amazonsaurus maranhensis, de cerca de 10 metros de comprimento, que viveu a cerca de 110 milhões de anos, na região amazônica que hoje conhecemos como Maranhão, e da preguiça-gigante Eremotherium laurillardi extinta há cerca de 11 mil anos, a “mais jovem” da exposição.



Homenagem

A exposição é dedicada à memória da geógrafa e paleontóloga Rosalie Benchimol, professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e é resultado de expedições que começaram a ser realizadas ainda em 2019 em um dos maiores sítios paleontológicos da Amazônia, o Sitio Cajueiro em Boca do Acre (AM), na formação Solimões.

“A abundância e a qualidade da preservação dos fósseis localizados nesta área permite ao Museu da Amazônia apresentar uma exposição única, incluindo fósseis de aves, que são pequenos e delicados, dificilmente descobertos”, destaca a paleontóloga Dra. Lucy Gomes de Souza.

Foto: Reprodução/Musa

Sobre as reproduções

O Amazonsaurus maranhensis exposto no Musa levou cerca de 6 meses para ser confeccionado e montado. A reprodução foi feita em polímero pelo paleo-artista Carlos Scarpini com base no estudo de alguns fragmentos descobertos pelo paleontólogo prof. Ismar Carvalho da UFRJ, no Maranhão. 

Para a reprodução do Purussaurus brasiliensis, por se tratar da primeira vez em que tal espécie é reconstruída osso por osso em tamanho real, foram necessários vários meses de trabalho durante os anos de 2020 e 2021, primeiro buscando a fundamentação anatômica para em seguida seus ossos serem reconstruídos da forma mais correta e científica possível. Este foi um trabalho feito por muitas mãos, sendo a parte teórica conduzida pelo prof. Dr. Jonas Souza-Filho (UFAC) e Dra. Lucy Gomes de Souza (MUSA), enquanto que a escultura foi feita por Maria Alice Matusiak e por Roberto Suarez e Raul Perigo de Oliveira (MUSA).

A preguiça-gigante (Eremotherium laurillardi) adulta teria 6 metros de altura do focinho à extremidade da cauda e pesava 5 toneladas. Durante milhões de anos a preguiça-gigante foi um dos maiores animais a habitar a Amazônia, a espécie é semelhante a uma preguiça-real (Choloepus didactylus). Sua réplica é resultado de uma parceria com o paleo-artista Bruno Garzon e a PUC Minas/Museu de Ciências Naturais sob a supervisão do paleontólogo Dr. Castor Cartelle. 

Foto: Reprodução/Musa

Financiamento

A exposição foi financiada pela empresa Bemol, através do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac) implementado pela Lei Rouanet. 

Por conta das medidas restritivas para controle ao Coronavírus, todas as visitas ao Museu da Amazônia são feitas por agendamento através do email: agendamento@museudaamazonia.org.br

Novidades

Ao longo de todo mês de abril, o Museu da Amazônia promove uma série de inaugurações relacionadas com a exposição.

Visita guiada paleontológica: será feita pela paleontóloga Dra. Lucy Gomes de Souza (MUSA) e estará disponível exclusivamente por agendamento. 

Réplicas com Selo MUSA: Sob a coordenação do paleo-artista Carlos Scarpini o Musa está produzindo reproduções que irão compor o acervo de outros Museus pelo Brasil. Duas já estão encomendadas, pelo Museu da cidade de Uchoa (SP) e pela Casa Don Aquino, de Cuiabá, e vão sair de Manaus com o SELO MUSA.

Paleo-Ateliê no Musa do Largo: Em breve também será inaugurado o espaço onde turistas e moradores de Manaus poderão conhecer mais sobre a confecção das peças feitas pelo paleo-artista Carlos Scarpini no espaço do Musa que fica no Largo São Sebastião.

O museu

O Museu da Amazônia (Musa), fica localizado na avenida Margarita, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus. Os telefones para agendaento são (92) 99280-4205 / (92) 99280-9059 / (92) 3582-3188. Para conferir mais sobre o museu basta acessar as redes sociais do Instagram, Facebook ouTwitter: @museudaamazonia

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.