Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021
Arte urbana

Pinturas em prédio homenageiam profissionais da linha de frente

O mural de 27 metros de altura por 18 de largura retrata trabalhadores das categorias de saúde e de segurança



WhatsApp_Image_2021-01-18_at_14.43.48_EFE97354-C0DE-46E0-846E-E1B54068CD6D.jpeg Mural está localizado no Edifício Zulmira Bittencourt, na Avenida Eduardo Ribeiro, no Centro (Foto: Phil Limma)
19/01/2021 às 07:26

Reconhecimento. Em meio à pandemia do novo coronavírus e ao período turbulento pelo qual passa Manaus, a primeira pintura em uma empena (parede lateral de um prédio) feita na cidade não poderia ser outra: uma homenagem aos profissionais que estão na linha de frente, lutando incansavelmente para conter a devastação do vírus.

Idealizado pelo artista urbano Jarbas do Carmo Gato Marinho, mais conhecido como Lobão, o mural de 27 metros de altura por 18 de largura – ainda em processo de finalização – está localizado no Edifício Zulmira Bittencourt, na Avenida Eduardo Ribeiro, no Centro da capital amazonense.



Para a realização do projeto, previsto para ser finalizado daqui a dez dias, o grafiteiro conta com a parceria do produtor cultural Lamartine Silva (intitulado artisticamente como Negro Lamar) e dos artistas convidados Edwin Bastos Ribeiro (conhecido como Sprok) e Celso Miguel Rodrigues (o Bin).

De acordo com Lobão, o processo de pintura foi iniciado em 10 de dezembro do ano passado, mas houve um intervalo nesse período e os trabalhos foram retornados apenas nesta semana. “Ainda há muito a ser feito. Vamos colocar mais alguns personagens, que representam outras categorias de trabalho que consideramos linha de frente”, ressalta.

Até o momento, o mural – feito com sprays e tinta acrílica a base d’água – já conta com a imagens representando as categorias de saúde e de segurança. “Muitos profissionais essenciais não puderam ou não tiveram como parar suas atividades, pelo fato de que outros dependiam deles, então fui observando algumas dessas atividades que não param e busquei representar cada uma delas. Sei que são bem mais do irá compor o mural, porém, selecionei os que estão mais em evidência para representar os demais”, detalha Lobão.

Segundo o grafiteiro – que trabalha no ramo desde 1999 – além de agradecer a esses profissionais por estarem à frente dessa batalha, a ideia também é levar um pouco de esperança à população. “Mostrar que isso tudo vai passar, que temos que ter fé em Deus e nesses profissionais, que estão lutando por nós”, pontua.

Sonhos e Desafios

Além da homenagem, o projeto de pintar uma empena na capital – contemplado no Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2020/ Lei Aldir Blanc – é a realização do sonho dos artistas envolvidos. De acordo com Sprok – que, assim como Bin e Negro Lamar, já trabalhou com Lobão em outros murais – assim que foi convidado, aceitou de prontidão. “Por ser um prédio, seria um desafio para nós. Já tínhamos feito trabalhos grandes, mas não desta proporção. É o ápice de quem trabalha com grafite”.

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.