Publicidade
Entretenimento
SONHO REALIZADO

Com 'Arrastão da Alegria', Reino Unido inaugura nova quadra nesta sexta (28)

Agremiação abre as portas da sua grandiosa estrutura para a comunidade do samba com desfile a partir de 18h, partindo da quadra antiga, com série de atrações musicais 28/12/2018 às 06:57 - Atualizado em 28/12/2018 às 10:39
Show reino200 77580d6f fec2 484c 802a 1e5622f063e1
Os compositores Ney Butica e Marquinhos Negritude ladeam o vice-presidente da Reino, João Thomé Mestrinho, analisando a planta da nova quadra; à direita, eles são observados por mestre da obra /Fotos: Winnetou Almeida
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Este dia 28 de dezembro de 2018 vai entrar para a história do samba amazonense, quando finalmente, após anos e anos de sonhos, a nova quadra da escola de samba Reino Unido da Liberdade será inaugurada para a alegria do povo do Morro da Liberdade e da comunidade sambista. Localizada na avenida São João, no próprio Morro, na Zona Sul, o espaço, que conta com 35 metros de largura por 65m de comprimento e é denominado “Terreirão do Samba Mãe Zulmira Gomes”, em homenagem à famosa mãe de santo tema do enredo campeão do Carnaval em 1989.

A nova quadra da atual tricampeã do Carnaval amazonense será aberta hoje a partir das 18h após a concentração do “arrastão” com todos os setores da agremiação em frente à sede antiga, que fica na rua São Pedro. De lá, num cotejo que promete ser apoteótico, os brincantes seguem rumo ao terreirão para uma programação que terá a apresentação dos protótipos de fantasias comerciais de 2019 e das atrações musicais James Rios & Márcia Siqueira, Bateria Furiosa, Nego Léo e Corte da Reino, Júnior Rodrigues e Banda Contágio.

 A inauguração deverá ser um dos últimos, senão o último, ato público do governador Amazonino Mendes neste mandato – o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), investiu aproximadamente R$ 3 milhões na conclusão do espaço cultural, cujo orçamento total, de acordo com o vice-presidente da Reino Unido, João Thomé Mestrinho, gira em torno de R$ 5 milhões .

A obra estava parada desde 2015, e foi finalmente retomada nesta gestão, sendo bem superior em tamanho à antiga quadra, de 17mx30m, localizada na alameda São Pedro, 195, no Morro (ela foi inaugurada em 1984, dará lugar a um dos ateliês da escola de samba e também vai passar por uma revitalização).

A nova quadra de ensaios da Reino poderá receber entre 7 mil a 10 mil pessoas, informa Mestrinho, e vai contar com um total de 18 camarotes, área VIP, palco, sala de bateria, refeitório,  estacionamento para até 200 veículos e um espaço onde, brevemente, será instalado um elevador.

“A quadra será entregue com 85% da obra pronta, e dentro de 15 dias ela deverá estar concluída. Nada mais justo que o governador Amazonino inaugurar a obra, pois ele possibilitou a conclusão da quadra. Vamos fazer o famoso ‘Arrastão da Alegria’. A Reino não é só uma escola de samba, mas um movimento cultural tendo o samba como âncora principal. Vai ser um grande acontecimento”, disse ele, que também é presidente de honra e sócio da Reino há 35 anos.

Um dos grandes diferenciais do novo espaço é que, além da quadra para a festa carnavalesca, a comunidade do Morro contará com um espaço educacional dotado de sete salas, todas climatizadas, que abrigará o projeto social do Instituto Reino do Amanhã, com cursos para aproximadamente 300 crianças do bairro da Zona Sul.

“O Instituto do Amanhã terá um anexo em nossa quadra com sete salas de aula, refeitório com uma ótima estrutura, com capacidade para atender ainda mais crianças no projeto. São crianças que vêm para o instituto aprender a cantar, a tocar instrumentos de percussão e dança. A nossa ideia é ampliar essa parceria e, quem sabe, trazer profissionais do Claudio Santoro para esta estrutura. Queremos ocupar o tempo de crianças que podem estar ociosas e ensinar uma profissão a elas”, afirmou o presidente Reginei Rodrigues.

“O Instituto Reino do Amanhã é o nosso futuro. Queremos que esse novo espaço agregue a criançada pois estamos ganhando a luta contra o narcotráfico, contra a delinqüência e as coisas erradas. E a Reino Unido, dentro do seu grãozinho de areia, está construindo esse universo, essa pequena casa da cidadania e que, pra nós, é um sonho e uma paixão. E paixão não se explica. Se tem, ou não tem”, destaca João Thomé Mestrinho.  

Enredo marca 30 anos do 1º título da Reino

Em 2019, quando completará 30 anos do seu primeiro título entre as grandes do Carnaval de Manaus, a Reino Unido da Liberdade vai celebrar, buscando nas suas raízes afrodescendentes, um enredo que já nasce épico. Atual tricampeã do Carnaval de Manaus, e com um total de 12 títulos no currículo, a escola de samba virá no próximo ano com “Tambores, Crença e Costumes Afro-Brasileiros – A Benção Mãe Zulmira”.

Antiga quadra traz histórias curiosas

A antiga quadra de ensaios da alameda São Pedro, 195, no Morro, é cheia de histórias e recordações. Que o diga o compositor Marquinhos Negritude, um dos mais consagrados letristas da Reino Unido e supercampeão de sambas-enredos pela agremiação.

“Foi na antiga quadra da Reino que eu conheci e onde namorei com a minha esposa, Nara Silva, em 1986. Era lá onde eu me encontrava com ela. Ela quem me trouxe para a Reino Unido”, comentou ele, que junto a uma gama de compositores como Ney Butica, também assina o samba-enredo deste ano.


Marquinhos Negritude e sua esposa, Nara Silva: antiga quadra foi local onde casal solidificou seu amor (Foto: Reprodução/Facebook)

O vice-presidente Thomé Mestrinho relembra que, no início, o antigo local de ensaios havia sido adquirido junto ao antigo proprietário do terreno sob o pretexto de ser uma igreja. O argumento deu certo.  “Mas com o tempo a quadra passou a ser um templo do samba”, ressalta o filho do ex-governador já-falecido Gilberto Mestrinho, vislumbrando o novo “Terreirão do Samba Mãe Zulmira Gomes”.

Segundo conta Thomé, mesmo após seguidas insistências de antigas diretorias para que o proprietário de um dos imóveis ao redor da antiga vendesse sua área para a ampliação da quadra, o mesmo argumentava que “não venderia seu imóvel porque só conseguia dormir com o som da bateria da Reino”.

Publicidade
Publicidade