Terça-feira, 20 de Outubro de 2020
TALENTO AMAZÔNICO

Terça de estreias: Elisa Maia realiza lançamento de canção inédita

Artista lança videoclipe de canção inédita, que marca estreia como produtora musical



zbv0118-01f_92412267-94BE-4430-B762-97D5941501BD.jpg Fotos: Roberto Coelho
18/08/2020 às 15:08

Uma terça-feira de estreias para Elisa Maia. A artista amazonense lança, a partir de 14h, o primeiro videoclipe de seus 18 anos de carreira profissional, baseado em sua composição inédita “Luas para tantas faces”, que também chegou hoje (18) às principais plataformas de streaming (Spotify, Deezer, ITunes, Tidal). Como se não fosse o bastante, a faixa musical marca o ‘debute’ da cantora como produtora musical, em parceria com Bruno Prestes.

Composta há três anos, “Luas para tantas faces” foi tocada em algumas apresentações da artista, para ser ‘testada’ ao vivo, mas nunca teve um lançamento. Agora, além de ser publicamente oficializada, a canção representa o primeiro da série de quatro singles que Elisa pretende lançar até dezembro.



Feita com uma sequência de acordes menores que vão alcançando novas camadas, reforçando a ideia de que um dia é capaz de inúmeras emoções, a música fala sobre fases e, como não poderia deixar de ser, o videoclipe acompanha a mensagem, a começar pelo local escolhido para a gravação. As imagens foram captadas no final do ano passado na casa dos pais da cantora, onde ela voltou a residir para cuidar do genitor, que acabou falecendo devido a uma doença cardíaca.

“Em 2019, eu voltei a morar com meus pais, em uma casa recém-construída, que, na verdade, eles passaram 15 anos pra finalizar. A ideia de filmar na minha casa nasceu da necessidade de encaixar minha nova rotina a um espaço com potencial pra produção, já que ela é ampla, com bastante entrada de luz. E com o adendo de que a casa foi projetada por mim, quando eu ainda fazia faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Então, acredito que, narrativamente, eu tinha muito a falar dentro dessa casa, naquele novo contexto”, asseverou.

O videoclipe é dedicado ao pai da cantora e a todos que perderam pessoas importantes nesse período de pandemia do novo coronavírus.

 

Versões

Disponível no canal da artista no Youtube, o projeto audiovisual teve direção de Victor Kaleb, fotografia de Robert Coelho e concepção de arte e figurino por Anália Nogueira. Os três foram figuras essenciais para a formação da obra. “Eu tinha a ideia de me registrar de uma maneira mais simples e íntima, mas o videoclipe acabou ganhando elementos mais elaborados quando eu, o Victor e a Anália fomos pensando o roteiro. E, mais tarde, quando o Robert entrou na equipe, entendemos que a casa era o pano de fundo pra uma locação mais neutra, onde três versões de mim habitavam”, destacou Elisa.

A primeira é, de acordo com a cantora, “lunar, glamurosa”. De forma íntima, ela se apresenta de toalha na cabeça, em tons de azuis. Já a segunda é uma implacável cortadora de legumes, que dança e ritualiza no seu quintal. E a última, mas não menos importante, é uma representação mais plena e fiel da própria artista, apresentando seu bairro a partir da laje da casa.

Elisa fala que o videoclipe a mostra como uma mulher que performa muitas faces ao mesmo tempo. “Que reflete sobre angústia, desconforto, mas que entende que expor vulnerabilidade fortalece a humanidade em si e aponta possíveis caminhos (positivos, mas realistas) pra redenção, a minha própria inclusive”, observou.

Carreira

Filha de pais que cantavam na igreja, Elisa se apaixonou pela arte desde cedo. Aos oito anos, iniciou seus aprendizados no Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas (CAUA), estudando piano, flauta e violão. Aos 21, iniciou sua trajetória artística, integrando a banda amazonense de reggae Johnny Jack Mesclado. Chegou a cursar Arquitetura e Urbanismo e atuar na área. Mas, em 2010, deixou a profissão definitivamente para se dedicar apenas à carreira musical. Em 2013, já em seu trabalho solo, lançou o EP “Ser da Cidade”, com cinco músicas, todas compostas por ela. No mesmo ano, saiu em turnê, percorrendo 06 capitais da região Norte em uma jornada de dez dias. Desde 2017, a artista compõe e produz músicas novas, previstas para serem lançadas ainda em 2020.

Ficha:

Direção: Victor Kaleb

Roteiro: Victor Kaleb, Elisa Maia e Anália Nogueira

Direção de fotografia: Robert Coelho

Direção de arte: Anália Nogueira

Figurino: Anália Nogueira Paulo Oberdan

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.