Terça-feira, 31 de Março de 2020
SEM CONSENSO

Letra de samba gera impasse e atrasa resultado do Grupo de Acesso A

Acadêmicos da Cidade Alta acusa letras de samba enredo das escolas Beija Flor do Norte, Unidos da Cidade Nova e Tradição Leste de romperem lisura do carnaval de Manaus 



12221_425E4A87-5617-4D0D-AA16-A47D9DE3A7A2.JPG Foto: Junio Matos
24/02/2020 às 13:30

O dirigente do Grêmio Recreativo Escola de Samba (GRES) Acadêmicos da Cidade Alta, William Tatá, pediu a retirada do diretor de carnaval Montelo Lira, que compõe a mesa de leitura das notas, acusando-o de favorecer três escolas de samba. 

Segundo William Tatá, o regulamento do Carnaval de Manaus, estabelece o envio da letra dos samba enredos junto com a ficha técnica à Secretaria de Culturado Amazonas (SEC) e para a União das Escolas de Samba do Amazonas (Uesam) no prazo máximo de sete dias. 



Tatá afirmou que Montelo, após o prazo estipulado regulamento, confeccionou na sexta-feira (21), dia do desfile do grupo de acesso A, as letras de samba enredo das escolas Beija Flor do Norte, Unidos da Cidade Nova e Tradição Leste o que, segundo ele, compromete a lisura do carnaval de Manaus. 

"Houve uma interferência direta do Montelo. Tamanha 22h ele confeccionou as três letras de samba e entregou diretamente na cabine dos jurados. Tendo mais uma agravante. Interferindo diretamente no julgamento. Por isso a nossa indignação. Esse tipo de comportamento não pode haver. A ideia é destituir a mesa", declarou William Tatá. 

Após 30 minutos de deliberação entre a assessoria jurídica, mesa diretora e o secretário Marco Apolo, titular da SEC, ainda não houve acordo entre os diretores das agremiações.  

Os diretores das escolas Sem Compromisso; Império do Havaí; Dragões do Império; Presidente Vargas; Vila da Barra; e Acadêmicos da Cidade Alta não concordaram abrir as notas julgadas e abandonaram a sala de apuração.

Escolas negam favorecimento

Caso seja comprovada a irregularidas as escolas Beija Flor do Norte, Unidos da Cidade Nova e Tradição Leste,  devem ser penalizada, segundo consta no artigo 56 do regulamento do Carnaval de Manaus, com nota 8 no quesito samba enredo. 

Os representantes das três escolas negam a acusação e afirmam que cumpriram o regulamento. "Eles alegam que não entregamos o samba enredo. Isso não procede estamos recorrendo. O regulamento está todo cumprido", frisou Tássia de Paula, diretora executiva da Unidos da Cidade Nova. 

"Nos cumprimos o regulamento e tudo o que foi solicitado. A letra foi apresentada no momento do julgamento. Só que o regulamento não veda a colocação do anexo da letra no momento oportuno. Não houve prejuízo, portanto, é legal", declarou a advogada Nelly Miranda, representante da Beija Flor do Norte. 

Deliberação

A mesa diretora está deliberando sobre a situação de portas fechadas no bloco F, situado nas dependências do Sambódromo, Zona Centeo-Oeste de Manaus. Até momento nenhuma decisão foi divulgada. O impasse da leitura de notas pode implicar no atraso da apuração do grupo especial, previsto para iniciar às 14h.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.