Quarta-feira, 03 de Junho de 2020
MOMENTO

Jogadora brasileira vence grande torneio e comprova crescimento do poker feminino

Day Kotoviezy superou 174 jogadores no dia final do evento, realizado na última segunda-feira (4) e levou pra casa um dos maiores prêmios da carreira: US$ 30.237 (mais de R$ 174 mil).



DAY0_D7521549-595E-4125-912B-C866F909FE7C.jpg
12/05/2020 às 14:52

O poker ainda é majoritariamente um esporte masculino, com os homens dominando os principais torneios da modalidade no circuito nacional e internacional (cerca de 90% dos jogadores). Porém, cada vez mais as mulheres ganham espaço no esporte da mente e obtêm sucesso nas competições. Um caso recente de triunfo feminino aconteceu no Kings Series of Poker (KSOP), um dos grandes torneios do continente.

O título do Main Event, a principal disputa do KSOP, ficou com uma jogadora: a paranaense Dayane Kotoviezy, de Curitiba. Ela superou 174 jogadores no dia final do evento, realizado na última segunda-feira (4) e levou pra casa um dos maiores prêmios da carreira: US$ 30.237 (mais de R$ 174 mil).



Na mesa final, a jogadora superou nomes como Wender Oliveira, que buscava o tricampeonato, Vinicius Miranda, vice-campeão, Felipe Salgado e Leocir José Carneiro, além dos gringos Roberto Carvallo (Chile), Sergio San Martin Fonseca (Chile) e Leandro Cosme (Argentina) para ficar com o título.

Com a conquista, ela fez história e se tornou a primeira mulher a vencer o Main Event do Kings Series of Poker desde que o torneio começou a ser disputado, o que certamente é um marco para o poker feminino no Brasil.

De quebra, Day (como é conhecida no circuito) ficou em primeiro lugar no ranking online do campeonato, o que também lhe rendeu um pacote de US$ 2 mil (pouco mais de R$ 11.280) para a edição do ano que vem do torneio, complementando uma semana histórica na carreira da jogadora curitibana.

Considerado um dos maiores torneios do circuito brasileiro e sul-americano, o Kings Series of Poker foi realizado pela primeira vez de forma 100% online, na plataforma do partypoker (uma das principais marcas ligadas ao esporte), seguindo as recomendações de isolamento social que vigoram em todo o planeta. Ao todo, foram mais de 1.100 entradas, com uma premiação total de US$ 385 mil (cerca de R$ 2,2 milhões).

Carreira vitoriosa

Brasileira já faturou mais de R$ 1 milhão em premiações na carreira. Foto: Divulgação

Representante da equipe partypoker, Dayane Kotoviezy ostenta uma carreira de triunfos e grandes premiações. No ano passado, ela faturou o torneio Ladies (exclusivo para mulheres) do World Series Of Poker Circuit (WSOPC), realizado em Punta del Este, no Uruguai.

Disputando competições no circuito profissional há uma década, Day acumula uma premiação total de carreira de cerca de US$ 332 mil (pouco mais de R$ 1,9 milhão), tendo participado de competições em países como Bahamas, México, Uruguai, Espanha e Estados Unidos, além de uma série de torneios nacionais. Também já foi campeã do Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes (CBPE) em 2018 com a seleção paranaense.

Além disso, ela se destaca no circuito online. Só no mês de abril, a curitibana faturou US$ 54 mil (mais de R$ 300 mil) ao ficar em quarto lugar no partypoker MILLION, um dos maiores torneios digitais da atualidade.

No ranking da Global Poker Index, que mede o desempenho de jogadores em todo o planeta, Day aparece em 14º lugar à frente de nomes como Thiago Crema, André Akkari, Bruno Politano, Pablo Brito, Ariel Celestino, Carlos Hey de Lima, entre outros. Entre as mulheres, ela é a número 1, superando jogadoras como Vivian Saliba e Caroline Dupre, que também se destacam no cenário nacional com resultados bastante positivos.

Poker cresce entre as mulheres

Canadense Kristen Bicknell é a melhor do mundo na atualidade. Foto: Divulgação

Um dos motivos do crescimento do esporte entre as mulheres é a realização de torneios exclusivos para o público feminino, os chamados Ladies, bastante comum nos grandes campeonatos. Isso incentiva ainda mais a prática do esporte da mente mais popular do mundo entre elas.

Porém, assim como Day, as mulheres já vêm competindo de igual para igual com muitos anos e fazendo sucesso nos torneios, o que não é uma novidade em países como Canadá e Estados Unidos, por exemplo.

Atualmente, a número 1 do mundo no ranking da Global Poker Index é a canadense Kristen Bicknell, companheira de Dayane Kotoviezy na team partypoker. Competidora de muito destaque em torneios online, Kristen rapidamente migrou para os campeonatos ao vivo e logo fez sucesso, chegando ao top 20 do mundo no geral, ou seja, incluindo também os homens. A premiação estimada da carreira da jogadora beira os US$ 5 milhões.

Uma das grandes precursoras do movimento feminino no poker foi a norte-americana Barbara Enright, a primeira mulher a vencer um bracelete de evento aberto do World Series of Poker, maior circuito mundial, em 1996. Considerada uma das melhores jogadoras de todos os tempos, com três braceletes do WSOP, Barbara integra o Hall da Fama do esporte desde 2007, tendo sido a primeira mulher a integrar a lista mais célebre do poker mundial.

Depois disso, outras duas jogadoras entraram no Hall da Fama do esporte: em 2011, Linda Johnson, dona de um bracelete do WSOP, foi eleita para ingressar no Hall. Quatro anos depois, foi a vez de americana Jennifer Harman entrar na lista, com 2 braceletes e 12 mesas finais.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.