Terça-feira, 21 de Janeiro de 2020
DE VOLTA AO BERÇO

Jungle Fight volta às origens e realiza edição histórica de número 100 em Manaus

Evento retorna ao Amazonas no dia 28 de dezembro com três disputas de cinturão, entre eles do de até 61kg e até 75kg, além da disputa pelo cinturão feminino de até 57kg.



d79d6424-7faf-453a-9b36-92c3ed902bfc_8ED81285-907F-4737-9FA9-E060638BF3DF.jpg Foto: Divulgação
12/12/2019 às 15:53

A primeira edição do Jungle Fight aconteceu em setembro de 2003 em Manaus, no Amazonas, quando colocou frente a frente o já consagrado Jorge Patino Macaco e o astro do Jiu-Jitsu Ronaldo Jacaré na luta principal. Nesta mesma edição o evento ainda lançou nomes que viriam a se destacar anos mais tarde no cenário mundial do MMA como os ex-campeões do UFC Lyoto Machida e Fabrício Werdum. Agora, perto de completar a inédita edição de número 100, o maior evento de MMA da América Latina decidiu voltar as suas origens e retorna a capital do Amazonas no dia 28 de dezembro com três disputas de cinturão.

“Nenhum evento na história do MMA brasileiro completou 100 edições. Sem dúvida esse é um marco na história. Estou muito feliz de voltar as origens, porque o Amazonas é um celeiro de guerreiros, e foi lá onde tudo começou. Essa edição em Manaus vai ajudar, como ajudou em todas as edições que já realizamos, a descobrir e dar visibilidade a nova geração de guerreiros do Brasil”, disse Wallid Ismail, presidente do Jungle Fight.



Durante três anos, ou seis edições, o evento foi realizado em Manaus, e além de ter contado em seus cards com astros da época como José Pelé Landi, Carlão Barreto, Renato Babalu, Ebenezer Braga e Stephan Bondar, revelaria outros grandes nomes como o ex-campeão do UFC José Aldo, o campeão do One FC Bibiano Fernandes e o russo Alexander Shlemenko. A partir de 2006, o Jungle Fight cresceu e passou a rodar pelo Brasil, dando oportunidade a centenas de lutadores. Foram realizadas edições no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Paraná, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Porto Alegre, Belém do Pará, Amapá, Ceará, Palmas e Rio Grande do Norte, além de uma edição internacional na Eslovênia. 

“Campeões do mundo inteiro passaram pelos eventos do Jungle realizados no norte do Brasil. Agora estamos voltando mais forte do que nunca. O Amazonas é uma terra de guerreiros, começando pelo seu prefeito Arthur Virgílio Neto, que é faixa-vermelha de Jiu-Jitsu e foi formado pelo mestre Carlson Gracie”, enalteceu Ismail, que irá fazer uma homenagem a Carlson Gracie premiando o melhor lutador do evento com um troféu do saudoso mestre.

“Fomos o último evento a prestar uma homenagem ao maior treinador de Jiu-Jitsu e MMA de todos os tempos. Então, não poderia deixar de homenageá-lo nesse momento tão importante da história do nosso esporte”, completou Wallid.

O Jungle Fight no DAZN 100 terá transmissão exclusiva da plataforma de streaming DAZN. Para assinar, basta clicar aqui. O primeiro mês de assinatura é grátis. 

Confira abaixo as três disputas de cinturão já confirmadas. E fique ligado que em breve será divulgado o card completo do evento.

Jungle Fight no DAZN 100
Sábado, 28 de dezembro de 2019
Manaus, Amazonas

Cinturão até 61kg:
- Eduardo Silva “Máquina da dor” (Full House/SP) x José Antonio Rodríguez Serrano (Cleber BJJ);

Cinturão até 77kg:
- Willker “Feijão” Lemos (Team Nogueira) x Alessandro Junior “Gambulino” (Gordin Fight Team);

Cinturão feminino até 57kg:
- Natalia Silva (Team Borracho) x Joice Mara x Joice (PRVT).

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.