Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019
ADEUS

Manaus FC perde pênalti no fim, empata com CSA-AL e é eliminado da Copa do Brasil

Com a eliminação do Gavião do Norte, futebol amazonense se despediu da Copa do Brasil 2018



WhatsApp_Image_2018-02-07_at_23.20.40.jpeg Manaus teve a chance de se classificar com uma penalidade nos minutos finais da partida, mas o goleiro do CSA-AL defendeu cobrança do atacante Nena. Foto: Evandro Seixas
07/02/2018 às 23:54

Em partida tensa e cheia de reviravoltas até o último minuto, a equipe do Manaus empatou em 2 a 2 , na noite desta quarta-feira (7), na Arena da Amazônia, e deu adeus à Copa do Brasil. Com direito a penalidade perdida pelo Gavião no último minuto de jogo, o caçula do futebol baré ainda perdeu dois atletas lesionados durante a partida.

Na próxima quarta-feira (14), o Manaus FC vai até Belém, onde encara o Clube do Remo, pela Copa Verde. Na partida de ida, o time amazonense venceu os paraenses por 2 a 0 e pode até perder por um gol que segue na competição.

O jogo

A partida iniciou com cautela por parte de ambas as equipes. Mas logo o lado direito do CSA começou a aparecer. Aos 3 minutos, Didira achou Giva que chuta forte, mas Deurick cortou antes de chegar ao gol de Jonathan. A resposta do Manaus FC veio com Hamilton, que fez pivô para Rossini chutar por cima da meta de Mota.

O duelo no meio de campo era pegado e poucas eram as chances de gol. Mas aos 16 minutos, Cleitinho aproveitou bate e rebate na área do Azulão e chutou para boa defesa de Mota. O contra golpe do CSA foi quase mortal quando aos 23min, Talisson desceu pela direita e cruzou, a zaga do Gavião cortou mal e Giva chutou a bola no travessão de Jonathan.

O Manaus FC respondeu ainda com mais força em cobrança de escanteio de Zadda aos 35 minutos. A bola foi cabeceada por Paulão e a defesa do Azulão afastou, mas na sobra Deurick dominou e soltou a bomba. Gol do Gavião. 1 a 0.

A partir daí o CSA tentou imprimir pressão para cima do Manaus FC, que suportou bem até os 44 minutos da primeira etapa. Em boa tabela pela direita, Didira deu assistência perfeita para Giva que dessa vez não perdoou e empatou o jogo. 1 a 1 e fim do primeiro tempo.

Segundo Tempo

O jogo recomeçou, mas parecia que o time do Manaus FC havia ficado no vestiário. Muito desatento, o meio de campo do Gavião deixou espaços e o CSA foi para cima. Aos 4 minutos, Rafinha chegou pela esquerda e cruzou na cabeça de Giva, mas Paulão cortou em cima da linha

Na sequência, o pequeno Dawhan sobiu sozinho no meio da área do Gavião que assistiu sem nada fazer. Por sorte o camisa 5 jogou para fora. Aos 6 minutos, mais uma chance de Giva, que chegou fácil na grande área e fuzilou. Deurick se lançou contra a bola, cortou o lance, mas se chocou feio com o goleiro Jonathan. Ambos ficaram no chão e a tensão maior foi com o arqueiro do Gavião que ficou desacordado.

Ambulância em campo e Jonathan deixou o estádio já reanimado, mas ‘grogue’. Por outro lado, o zagueiro Deurick continuou no chão chorando com muitas dores no joelho esquerdo. Ambos foram substituídos por Milton e He-Man, respectivamente. Enorme prejuízo ao Manaus FC.

Após 25 minutos, a partida recomeçou e CSA botou pressão para cima do Manaus FC. Aos 44, Hamilton, que estava apagado no jogo, recebeu no meio e fez um golaço de cobertura. Na comemoração, o meia, que havia recebido amarelo na primeira etapa, levantou a camisa e recebeu o segundo amarelo, consequentemente, sendo expulso da partida.

O CSA voltou a pressionar o Manaus e aos 64 minutos, em cobrança de escanteio, o zagueiro Leandro Souza empatou o jogo novamente.

Na base da raça, o Gavião se lançou ao ataque e aos 73, Rossini tentou uma bicicleta dentro da área e a zaga cortou com a mão. Penalidade marcada e o atacante Nena foi para a cobrança.

A torcida do Gavião já fazia festa, mas o camisa 9 do Manaus chutou nas mãos do goleiro Mota. Fim de jogo e do sonho do Manaus FC.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.