Publicidade
Esportes
LIBERTADORES

Manaus é forte candidata a receber a Copa Libertadores da América Feminina 2018

Representada pelo Iranduba, a capital amazonense está na briga com outras duas cidades para sediar a competição de clubes mais importante do futebol feminino nas Américas 19/02/2018 às 18:39 - Atualizado em 23/02/2018 às 11:39
Show liberta
Hulk 'joga' com a torcida pela chance de sediar a Libertadores (Foto: Reprodução / Facebook)
Denir Simplício Manaus (AM)

Depois de sediar a Copa do Mundo de 2014 e o Torneio de Futebol dos Jogos Olímpicos da Rio 2016, Manaus está cada vez mais próxima de receber mais uma grande competição dos gramados e ainda este ano. Trata-se da Copa Libertadores da América de Futebol Feminino.

Representada pelo Esporte Clube Iranduba da Amazônia, a capital amazonense vive a expectativa de receber já na próxima semana o caderno de encargos da competição organizada pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol).

“Nós encaminhamos, no início do ano, um ofício pra Conmebol solicitando o sediamento da Copa Libertadores, manifestando o interesse do Iranduba em sediar a competição em 2018 ou em 2019. Esse ofício foi via Federação (Amazonense de Futebol, FAF) pra CBF, que encaminhou pra Conmebol”, confirmou o diretor de futebol do Hulk, Lauro Tentardini, explicando os requisitos exigidos pela entidade para a escolha.

“A posição que temos da Conmebol é que essa semana ela envia o caderno de encargos, que são aqueles requisitos que o clube precisa cumprir, como a cidade ter estrutura de estádios, transporte interno, hospedagem e alimentação. Depois vai pros diferenciais de cada cidade, o interesse da televisão em transmitir os jogos e uma série de outros fatores”, disse.

Concorrentes

Além de Manaus, outras duas cidades estão na briga para sediar a Libertadores de 2018. “Por enquanto, do Brasil apresentaram candidatura Foz Cataratas (time de Foz do Iguaçu, no Paraná), que já sediou uma Libertadores (2013) e o Iranduba. Além do Deportivo Ita, da Bolívia, que é de Santa Cruz de la Sierra, que também manifestou interesse em sediar a competição”, revelou Tentardini pontuando os itens que podem pesar a favor de Manaus.

“Nosso ponto positivo com certeza é a presença do nosso torcedor, que é o torcedor mais fiel do futebol feminino brasileiro e um dos mais fiéis do mundo na modalidade. Basta ver que o Barcelona (feminino) jogou pelo campeonato espanhol ontem (domingo) e teve 622 pessoas assistindo o jogo, e o Iranduba já colocou 25 mil pessoas”, disse o dirigente continuado. “Manaus é uma cidade que sediou Copa do Mundo, que tem estádios de grande qualidade como a Arena da Amazônia, Colina, Zamith e o próprio estádio do Sesi. Manaus é uma cidade que também tem uma boa estrutura na parte hoteleira, até por ser uma cidade com bastante envolvimento turístico”, afirmou o diretor do Hulk.

Ponto negativo

Segundo o diretor do Iranduba, Lauro Tentardini, o ponto negativo da candidatura manauara a receber a Libertadores Feminina é a distância da cidade, o que encarece o transporte das equipes. “O ponto fraco é que realmente as passagens aéreas pra Manaus elas são muito caras, a logística é complicada”, pontuou Tentardini mostrando otimismo na escolha da capital amazonense como sede da Libertadores Feminina.

“Acredito que nós temos grandes chances sim de sediar a Libertadores. Acho que, com todo respeito as outras cidades que concorrem conosco, como Foz, que tenho o maior respeito tanto pelo time como pela cidade, e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, mas em Manaus nós temos uma estrutura melhor e devemos sim ter grande chance de levar essa competição pra Manaus”, concluiu. 

Publicidade
Publicidade