Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019
CONQUISTA

Jogador amazonense marca seus primeiros gols por clube na Europa

Natural de Pauini, o atacante Rafael Rennardy, de 21 anos, é formado na base do Nacional e jogou apenas 6 partidas como profissional no Amazonas



Rafael_Rennardy_60A34186-44E9-49E9-B822-B3EB4FD86F37.jpg Foto: Divulgação
29/10/2019 às 15:47

Rafael Rennardy de Souza Pereira, de 21 anos, é natural de Pauini, interior do Amazonas. O atleta, formado na base do Nacional Futebol Clube, atualmente joga na Europa pelo Xaghra Unitede, clube de Gozo, uma ilha que faz parte da República de Malta. Atacante dos bons, o jovem jogador mal chegou no novo clube e já está se destacando, fazendo aquilo que sempre fez de melhor na base: gols!

Rafael contou sobre sua infância em Pauini, localizada a 925km de Manaus.



“Minha infância em Pauini foi a melhor possível. Eu saía de casa de manhã e passava a tarde todinha jogando bola na rua. Pra mim, não tinha horário. Era meio-dia, 2h e com aquele sol tinindo”, conta o jogador, que já recebia elogios naquela época.

”Todos os meus amigos sempre diziam que eu era um cara diferente, falando que eu era bom e que se eu tivesse uma oportunidade, seria jogador profissional”.

Um dia, Rafael recebeu um convite que mudaria sua vida.

”Um amigo meu (Igor) trabalhava em Manaus e em uma passagem dele aqui por Pauini, ele me viu jogando e perguntou se eu tinha coragem de ir pra Manaus fazer um teste pra me tornar jogador. Eu disse que tinha e ele me levou pra cidade”, conta Rafael, que aos 17 anos, foi morar no Coroado com sua tia por parte de pai, Andreia.

Rafagol

Em 2015, Rafael jogou pelo Juvenil do Manaus FC, marcando 4 gols. Mas com poucas partidas realizadas, ele acabou indo parar em outro clube no ano seguinte.

“Graças ao Francisco Dias (conhecido como Chinês), pude fazer um teste no Nacional e nesse teste eu fiz um gol. A partir daí, minha carreira deu uma alavancada”, conta Rafael, que no ano de estreia pelo Nacional, foi vice-artilheiro do Amazonense Juvenil com 19 gols marcados, sendo eleito o melhor jogador da competição.

O clube ficou apenas com o vice-campeonato do 2º turno no Juvenil. Mas as boas atuações com a camisa do Mais Querido agradaram os torcedores, que começaram a chamar o jogador de Rafagol. O carinho da torcida e os 19 gols não passaram despercebidos pelo Nacional, que no ano seguinte, ofereceram a Rafael seu primeiro contrato como profissional.

Com 18 anos, o jogador fez sua única partida profissional pelo clube em 2017. O jogo foi contra o São Raimundo, no estádio da Colina.

“Lembro que ganhamos o jogo por 4 a 1. Lembro de todos os lances, das vezes que peguei a bola. Foi algo muito emocionante. Estava me aquecendo quando o Artur Bernandes (treinador do Nacional na época) me chamou e quando vi que eu ia entrar, passou um filme na minha cabeça, daquele moleque que veio lá de Pauini e agora ia estrear profissionalmente no Campeonato Amazonense, num time tão grande que é o Nacional. Lembro também da torcida me apoiando, já que eles gostavam muito de mim e creio que ainda gostem. Foi um dia marcante”, conta o emocionado Rafael, que foi vice-campeão estadual com o Naça naquele ano.

Gol internacional

Quando a Seleção Brasileira veio à Manaus se preparar para um jogo contra a Colômbia, pelas eliminatórias da Copa do Mundo, que aconteceria em Barranquilla, Rafael foi convidado a participar de um dos treinos com a Seleção. Depois disso, o jogador teve curta passagem pelo futebol italiano, onde por problemas de documentação, não conseguiu atuar. Voltou à Manaus e disputou a Série B de do Estadual 2018 pelo Sul América, sendo vice-campeão. No começo de 2019, permaneceu no Sulão até que um nova oportunidade internacional apareceu em sua frente. 

”Meu procurador enviou um vídeo com meus lances, a pedido do Xaghra United. O clube procurava um zagueiro, mas aí os diretores do clube avaliaram, gostaram e pagaram uma passagem de São Paulo até Malta pra mim. Pra eu chegar em São Paulo, eu tive ajuda da prefeitura de Pauini, através do secretário de finanças Israel Amorim, que foi um cara que me ajudou bastante pra que eu conseguisse ir”, explica Rafael.

Jogando a 1ª divisão da Ilha de Gozo, Rafael já marcou 4 gols em 5 jogos. Logo na estreia, o atacante marcou duas vezes contra o Santa Venera, pela Copa Maltesa, competição que dá vaga à Europa League. Curiosamente, estes foram os primeiros gols de Rafael como profissional.

“Um torcedor falou comigo depois do jogo e foi quando me dei conta da importância dos gols que fiz. No Nacional, quando subi do Juvenil, eu me cobrava muito, porque na base marquei vários gols, mas como profissional eu ainda não havia marcado, sendo que quando estreei quando o São Raimundo, meti uma bola na trave”, conta Rafael, que antes de chegar ao Xaghra, havia feito apenas 6 partidas como profissional, sendo 1 pelo Nacional e 5 pelo Sul América.

Saudade da família

Depois que saiu de Pauini para realizar o sonho de ser jogador, Rafael não retornou ao município, já que durante o tempo que ficou em Manaus, o dinheiro era pouco e ele não queria retornar pra casa do mesmo jeito que saiu.

“Vai fazer 3 anos que não vejo meus pais pessoalmente. Falo com eles todo dia, por chamada de vídeo. A saudade é grande, mas em junho de 2020, vou conseguir visitá-los. Meu objetivo sempre foi ajudar minha família e agora, finalmente, eu posso ajudar”, diz Rafael, que já garantiu a passagem para visitar seus familiares.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.