Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2021
Virou novela

STJD decide que a FAF deverá apresentar formula para definir vagas nacionais

O diretor de competições da entidade baré disse que a decisão do STJD será cumprida e que, nesta sexta (4), terá uma audiência com a CBF



129462718_10224666389831686_5366721270523661638_o_75DE6E88-A9C6-401A-9697-E6260817C2CA.jpg Foto: Divulgação
03/12/2020 às 21:24

E as vagas nacionais do futebol amazonense para a temporada de 2021 deverão ser decididas dentro de campo. Pelo menos é o que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ‘bateu o martelo’, nesta quinta-feira (3), colocando a responsabilidade na própria Federação Amazonense de Futebol (FAF) em definir os times que estarão na Copa do Brasil e Série D da próxima temporada.

De acordo com a decisão, a FAF terá que criar uma formula de disputa e apresentar à CBF e o STJD, conforme os termos do relator da Corte - Paulo Feuz -, que levou em consideração o fato da CBF não ter condições de definir essas vagas, ficando a critério do STJD o prazo para que a FAF, em parceria com o comitê (conselho) técnico, apresente esta nova solução.

A reportagem de A Crítica entrou em contato com o diretor de competições da FAF, Roberto Peggy, que adiantou que a decisão do STJD será cumprida, mas que neste momento, não irá especular possíveis formulas de como encaixar este torneio dentro do calendário amazonense, levando em consideração que o Barezão está previsto para começar no próximo dia 13 de fevereiro.

“Não vamos nos manifestar nesse momento, pois tudo que falarmos agora será mera especulação. Estamos reunidos com o jurídico e amanhã (4) tenho uma audiência com a CBF, logo após agendaremos a data de reunião do conselho técnico de 2020. Somente após a reunião do conselho pra obtermos alguma definição. De antemão, a decisão do STJD será cumprida conforme o resultado”, disse Peggy.

O ex-diretor de competições da FAF, Ivan Guimarães, falou em um programa de rádio sobre o caso, dando um pouco mais de detalhes sobre como deve funcionar este torneio.

“O superior decidiu que o Campeonato Amazonense 2020 fica mesmo cancelado, não há rebaixamento e nem campeão. A FAF não poderá indicar ninguém pelo Ranking Nacional de Clubes (RNC) ou pelo resultado do Campeonato Amazonense de 2019. A Federação terá que fazer um torneio para definir essas vagas. O torneio precisa ter mais de quatro equipes e tendo apenas os participantes do campeonato de 2020”, explica.

Relembre as decisões

Com o avanço dos casos de Covid-19, o Barezão foi paralisado no dia 15 de março, após o termino de sua terceira rodada. Cinco dias depois, a Federação se reuniu com os clubes para definir os próximos passos, mas não houve unanimidade na decisão e o Estadual foi apenas terminado, mas sem que houvesse uma palavra final - ‘finalizado’ ou ‘cancelado’.

No dia 8 de julho, o presidente da FAF, Dissica Valério, decidiu pelo ‘encerramento’ do Barezão - sem campeão ou rebaixados -, concedendo as vagas nacionais para Manaus, Amazonas e Penarol. Com essa decisão, Fast e Nacional se uniram para procurar reverter no pleno do TJD. Foi aberta uma briga nos bastidores pelas vagas na Copa do Brasil e Série D.

No dia 16 de julho, o TJD-AM derrubou a decisão da presidência com uma liminar, a favor da medida inominada da dupla Pai e Filho, determinando que a FAF desse continuidade ao Campeonato Amazonense, tendo como justificativa que a FAF era única federação que não deu continuidade ao seu Estadual.

Em 30 de setembro, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) cancelou em definitivo o Barezão 2020 e determinou que o Ranking Nacional de Clubes da CBF fosse utilizado para definir as vagas nacionais.



Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.