Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
HULK

Iranduba perde mais três atletas para a série A1 do Brasileiro Feminino

Perdas já chegam a cinco. As jogadoras que deixaram o clube até o momento foram Andressinha, Mayara, Yoreli Rincon, Jayllis Oliveros e Karla Torres



zCR0228-103_p01__2__0577F429-2F66-4C86-B508-68D7C60BC3B5.jpg Foto: Antônio Lima
28/06/2019 às 07:08

A equipe do Iranduba tem  três novas baixas para o retorno da Série A1 do Brasileiro Feminino 2019. As jogadoras colombianas Yoreli Rincon e Jayllis Oliveros, além da venezuelana Karla Torres estão de saída do Hulk.

A meio-campo Yoreli e a atacante Karla Torres vão para o Junior Barranquilla-COL, já a lateral Jayllis vai atuar no futebol paraguaio. Com a saída do trio estrangeiro, o Iranduba soma  quatro baixas somente na pausa da competição nacional, pois o Hulk também liberou a meia Mayara para o futebol chinês, no início de junho. Vale lembrar também que o Iranduba já havia perdido Andressinha, no início de maio. A meio-campo deixou o clube baré após término de seu contrato de empréstimo.   



O diretor de futebol do Hulk, Lauro Tentardini, explicou que o clube precisa se readequar financeiramente e não há como segurar as atletas. “Elas têm proposta de um time colombiano e, infelizmente, temos que nos readequar financeiramente. E sem novos patrocinadores fica difícil. Temos apenas uma empresa nos apoiando. O futebol feminino está muito caro e, infelizmente, não temos mais as mesmas condições de competir que tínhamos em 2016 e 2017. Até porque não aparecem empresários querendo ajudar, então, vamos readequar”, declarou o dirigente do Hulk.

Por pouco tempo

As três atletas chegaram como grandes reforços para o Hulk, após a disputa da Libertadores Feminina em novembro do ano passado, em solo baré. As colombianas Yoreli e Jayllis foram campeãs da competição continental defendendo o Atlético Huila-COL, enquanto a venezuelana Karla Torres disputou o torneio pelo Colo Colo, do Chile. Time que chegou até as semis, e foi derrotado na disputa do terceiro lugar pelo Hulk nas penalidades. 

Contratada com status de craque, a meia Yoreli Rincon disputou apenas nove partidas pelo Iranduba. A camisa 10  não quis revelar os motivos da saída do clube. “O campeonato do Brasil é muito bom, bastante competitivo, longo e isso motiva a todas as atletas pra jogar. Fiquei pouco tempo, mas queria sair. Não queria mais ficar aqui”, declarou a colombiana.

Yoreli também ressaltou que não sentiu dificuldades de adaptação no clube, mas afirmou ter tomado a melhor decisão em deixar o Iranduba. “Eu sabia o idioma e eu já havia jogado no Brasil (em 2012 no XV de Piracicaba). No time (Iranduba) me adaptei muito bem, mas bem, já foi decidido e assim é melhor”, concluiu.

News 48367672 1136721996505445 2342939255929569280 n 2dad860c 0057 4e2e b7f5 f53181960f2f
Repórter do Craque
Jornalista formado na Ufam, campus de Parintins. Estudante de pós-graduação em jornalismo esportivo na Universidade Estácio de Sá. Repórter do Caderno de Esporte ‘Craque’ de A Crítica desde novembro de 2018.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.