Sexta-feira, 03 de Julho de 2020
BOCA DO ACRE

Lideranças denunciam invasão de fazendeiros à Terra Indígena Kamicuã, no sul do AM

Terra Indígena, no município de Boca do Acre, é homologada pelo governo federal desde 1991 e é habitada pelo povo Apurinã



WhatsApp_Image_2020-06-02_at_16.19.21_421D2E4F-0BA7-4F80-8E16-86E958F30850.jpeg
02/06/2020 às 16:20

Indígenas Apurinã, do Sul do Amazonas, denunciam que fazendeiros e proprietários de terra invadiram a Terra Indígena (TI) Kamicuã, no município de Boca do Acre (distante a 1.026 quilômetros de Manaus). O alerta foi divulgado pelo cacique Francisco Umanary e compartilhado por ativistas indígenas nas redes sociais.

Segundo a liderança, as invasões começaram no último sábado (30) e espaço invadido está sendo usado por três fazendeiros para pastagem de gado. A TI Kamicuã foi declarada e homologada em dezembro de 1991, numa área de 59 mil hectares habitada, segundo os dados mais recentes, por cerca de 454 indígenas do povo Apurinã.



A região sul do Amazonas é área mais afetada pelo desmatamento e queimadas ilegais. Segundo o programa Mapbiomas, que monitora o desmatamento no país, o município perdeu, só em 2019, 13 mil hectares de vegetação nativa desmatada.

Historicamente, os Apurinã foram perseguidos pelos primeiros pesquisadores, viajantes e missionários que invadiram a região no século XVIII. Na época do ciclo da borracha, foi mais uma vez um dos povos mais afetados. Hoje, a Fundação Nacional do Índio (Funai) estima pouco mais de 4 mil indivíduos no país.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Funai, que gerencia as TIs no Brasil, mas não obteve resposta. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.