Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
publicidade
0199d4a8-73a1-481e-ae3d-637d787a1f46_E941F954-284A-4B80-84E5-03A1B1EB2B18.jpg
publicidade
publicidade

ESTELIONATÁRIO

Homem que se passava por advogado é preso por oferecer falsos serviços advocatícios

Segundo a polícia, ele usava conhecimentos jurídicos do tempo em que cursou direito e estagiou na OAB do Ceará. Uma das vítimas chegou a dar R$ 27 mil para o acusado


30/01/2019 às 14:20

Preso por cometer diversos crimes de estelionato em Manaus, Ricardo Colares Barros, de 40 anos, foi apresentado na manhã de hoje (30) na sede da Delegacia Geral, na capital. O homem, segundo a polícia, se passava por advogado, oferecia falsos serviços advocatícios, ganhava a confiança das vítimas e se beneficiava do dinheiro que recebia. Ele foi preso por policiais civis da 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Conforme o titular do 19º DIP, delegado Aldeney Goes, as investigações iniciaram quando uma das vítimas procurou a delegacia para formalizar um boletim de ocorrência (BO) relatando o golpe do estelionatário. “A vítima saiu de uma empresa, ela se achava lesada e precisava de alguém que acionasse a Justiça. Foi quando Ricardo se apresentou. Ele disse que era advogado, afirmou que iria solucionar. Ele conseguiu da vítima R$ 23 mil em compras, mais R$ 4 mil que ela teria dado a ele, confiando no trabalho”, explicou.

A Ordem de Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM) foi acionada durante as investigações, por onde foi possível descobrir outras atuações semelhantes envolvendo Ricardo. “Nós temos o cuidado nesses casos para proteger não só a vítima, mas também proteger uma instituição. Essa pessoa não tinha enganado só a vítima, mas também tinha atuado em outros lugares. Nós começamos a estudar os modos operantes e assim que ele aplicava o golpe, ele desaparecia”, afirmou o delegado, acrescentando que foram quase duas semanas de investigação e monitoramento.

Além das ocorrências na capital, ele havia atuado da mesma forma no Estado do Ceará, onde o mesmo morou por 10 anos. “Ele atuava no Ceará também. No entanto, foi expedido um mandato de prisão contra ele pela delegacia de lá. Já oficiamos e solicitamos informações que irão complementar nossas investigações aqui. Quanto em Manaus, nós pesquisamos e encontramos dez boletins de ocorrência registrados em várias delegacias da cidade, onde citam valores de R$ 30 mil, R$ 90 mil, tudo em compras”, explicou ainda.

Ricardo foi preso na manhã de ontem. Ele estava em uma casa situada na rua dos Japoneses, conjunto Parque Shangrilá, no bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus.

Conhecimento jurídico

Para aplicar os golpes como falso advogado, Ricardo Colares usava de conhecimento jurídico adquirido do tempo em que cursou direito e quando estagiou na OAB do Ceará. “Ele foi inscrito na OAB em Ceará, mas como estagiário. O estagiário quando é inscrito na OAB só pode exercer funções se ele estiver acompanhado de um advogado e, além disso, essa carteira (de estagiário) havia sido suspensa devido as falcatruas”, disse o delegado. 

O presidente da OAB-AM, Marco Aurélio de Lima Choy, chamou atenção da sociedade para que pesquisem e se informem sobre o profissional antes de contratá-lo. “Todo o cidadão que precisa de um advogado, a OAB tem uma ferramenta que é um site (cna.oab.org.br) que é o cadastro nacional dos advogados, basta colocar o nome do profissional que vai aparecer nome e foto do advogado habilitado”, disse

Indiciamento

Ricardo foi indiciado pelo crime de estelionato. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), localizado no Km 8 da rodovia federal BR-174, onde ficará a disposição da justiça.

publicidade
publicidade
Após denúncia, condenado do regime aberto é preso com pistola na Panair
Com longa ficha criminal, homem é preso por roubo de armas em Manaus
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.