Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019
MORDEDURA

Jovem de 19 anos morde e arranca lábio de funcionária pública durante briga em Manaus

Samara da Silva Pinheiro (da esquerda) confessou em depoimento ter arrancado o lábio da mulher. A irmã de Samara disse em rede social que a jovem deu a mordida para se defender da agressão de três pessoas



irm__0CCDB08D-DF0F-4E0B-8AC7-B3BFFFB54B5D.JPG Samara da Silva Pinheiro (à esquerda) confessou que mordeu, mas alegou que não sabia que havia sido tão grave, segundo delegada. Foto: Divulgação
19/02/2019 às 20:19

Uma funcionária pública de 35 anos teve parte dos lábios arrancados após ser mordida por uma jovem de 19 anos. A agressora foi identificada como Samara da Silva Pinheiro, que já prestou depoimento na Polícia Civil e confessou o crime. A informação foi repassada pela delegada Alyne Lima, titular do 16º Distrito Integrado de Polícia, que será a responsável pela investigação do caso. 

A agressão iniciou no estacionamento de um bar e restaurante, na avenida Ephigênio Sales (V8) e terminou em um posto de combustíveis, na avenida André Araújo, Aleixo, na Zona Centro-Sul, na madrugada de sexta-feira, por volta das 2h, conforme consta no Boletim de Ocorrência. A publicitária Ana Rosa Cardoso, 35, que também foi agredida por Samara conversou com a reportagem do Portal A Crítica e deu detalhes da ocorrência.

De acordo com ela, ao sair do estabelecimento e se dirigir até seu carro na companhia da amiga e de outro amigo, um homem desconhecido se aproximou e questionou o trio sobre uma suposta fofoca que estava fazendo sobre Samara.  “Esse homem abordou meu amigo e perguntou sobre o que falávamos da mulher dele. Eu me meti e disse que não falamos nada, que nem conhecíamos ela e nem ele. Então ele disse que nós chamamos ela de p****, então de repente essa mulher saiu de um veículo e me empurrou, eu revidei o empurrão e ela me deu um tapa que eu caí”, explicou.

Ainda segundo a publicitária, ao se levantar chamou a polícia. “Eu falei pra ela que não podia bater e ficar por isso mesmo, eu chamei a polícia, os seguranças vieram e apartaram a confusão, e então eles entraram no carro e foram embora”, concluiu. Ana Rosa contou ainda que junto com a amiga e o amigo seguiram depois da confusão para um posto de gasolina, na avenida André Araújo.

“A minha amiga disse que queria fumar então paramos no posto e, lá, a minha amiga viu essa moça de novo e foi tirar satisfação com ela, perguntar o porquê da agressão e quando eu vi elas já estavam brigando. Essa moça que nunca vi na vida pegou minha amiga pelos cabelos e a jogou no chão. Fui separar as duas e depois vi que havia muito sangue no rosto dela, quando chegamos no hospital que vimos a gravidade do ferimento. Como é que uma pessoa faz isso com a outra?”, disse ela.

A vítima foi conduzida para o HPS 28 de Agosto, onde passou por cirurgia de reconstrução labial. Segundo a amiga, as medidas cabíveis em relação à agressão serão acompanhadas por um advogado.

Versão da autora

A autora da mordida já se apresentou na polícia e prestou o primeiro interrogatório sobre o fato. De acordo com a delegada Alyne Lima, titular do 16º DIP, Samara confirmou a versão apresentada pela vítima e a amiga, dizendo que a confusão teria iniciado no estacionamento do bar e restaurante e estendido até o posto de gasolina. Segundo a delegada, a agressora contou que no estacionamento a vítima a xingou, o que motivou a discussão e posteriormente agressão.

“A agressora contou que teve xingamentos, agressões verbais por parte da vítima e que houve a discussão no estacionamento, que posteriormente eles se encontraram no posto e, segundo a agressora, a vítima avançou nela e a agressão iniciou. A Samara confessa que mordeu, mas alegou que não sabia que havia sido tão grave”, explicou a delegada, esclarecendo que a unidade policial tem o prazo de 30 dias para concluir o inquérito policial sobre o fato.

Segundo a titular do 16º DIP, Samara foi ouvida em termo de interrogatório e que possivelmente poderá ser indiciada por lesão corporal grave, podendo pegar de 1 a 5 anos de reclusão. A delegada revelou ainda que o crime pode ser mudado para lesão corporal gravíssima. “Tenho 30 dias para concluir e possivelmente ela será indiciada por lesão corporal grave, mas dependo do laudo do hospital porque pode haver uma mudança, dependendo do resultado, até para gravíssima”, esclareceu.

Irmã se pronuncia

A irmã de Samara, a blogueira Camilla da Silva saiu em defesa da irmã em sua rede social. “Eu estava lá, tentei separar a discussão, pensei que estava tudo bem, mas quando chego em casa minha irmã me liga, falando que tinham pegado ela, duas moças e um rapaz, bateram os três nela, e contra três ela deu a mordida, sem saber da intensidade”, escreveu em seu post.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.