Publicidade
Manaus
SINISTRO

Cerca de 600 casas são atingidas em incêndio no Educandos, diz Defesa Civil

Um plano emergencial de contingência foi deflagrado pelo Corpo de Bombeiros. Todo o poder operacional foi usado na ocorrência 18/12/2018 às 00:46 - Atualizado em 18/12/2018 às 09:56
Show chamas 123 a4c446a9 7eab 4a8c b6e6 fe51bbc44944
Foto: Antonio Lima
acritica.com Manaus (AM)

“Em princípio não temos informações de óbitos. Mas a Defesa Civil Municipal informou que em torno de 600 moradias foram atingidas”. A informação é do subcomandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Josemar Santos, que deflagrou um plano emergencial de contingência e acionou efetivo que estava de folga e caminhões de combate a incêndio de Iranduba e Rio Preto da Eva para atuar no controle do incêndio que atingiu residências no bairro Educandos, na Zona Sul de Manaus, na noite desta segunda-feira (17).

Todos os oito postos operacionais do Corpo de Bombeiros do Amazonas, em Manaus, trabalharam na ação. Segundo o subcomandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Josemar Santos, todo o poder operacional foi usado. “A gente deu uma resposta rápida e chegamos ao local cerca de cinco minutos após o acionamento. Pela gravidade, estamos empregando todo o nosso poder operacional. São mais de 100 bombeiros”, disse.

O acesso ao local é difícil e havia grande quantidade de carros estacionados, o que também atrapalhou o desenrolar da ação. “A dificuldade grande é o acesso difícil. Haviam muitos carros estacionados, de um lado e de outro, o que dificulta a manobra das nossas viaturas, que são grandes. Essa foi uma grande dificuldade, inclusive para reabastecer”.

O secretário de Segurança Pública, coronel Amadeu Soares, esteve no local acompanhando o trabalho dos bombeiros.

Residências de madeira

O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta de 20h34 e cerca de cinco minutos depois a primeira viatura chegou ao local para o atendimento. Os reforços chegaram em seguida. Além do efetivo de plantão, oficiais que estavam fora de serviço foram acionados. Só na primeira hora do combate, a estimativa é que cerca de 100 mil litros de água tenham sido empregados.

O incêndio foi de grandes proporções e ocorria na rua Nova, beco São Francisco. As equipes dos bombeiros montaram três pontos distintos de trabalho para o combate ao incêndio. A região é de difícil acesso e as residências de madeira, construídas coladas, acabam facilitando a proliferação do fogo e dificultando o combate.

Vítimas do incêndio

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) informou que, até o momento, registrou nos serviços de emergência o atendimento de vítimas do incêndio com sintomas de intoxicação por inalação de fumaça. Nenhuma delas em estado grave. A Susam ressalta que as equipes de plantão nos prontos-socorros e Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) assim como as ambulâncias do serviço de remoção da capital estão mobilizados e preparadas para prestar toda a assistência necessária às vítimas.

Além do Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e a Polícia Civil estiveram na área acompanhando o caso. O Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) montou o gabinete de gestão de crise, com representantes de órgãos estaduais, municipais e federais para auxiliar nas ações emergenciais interagências.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou que três escolas foram disponibilizadas para receber as famílias desabrigadas. São as escolas estaduais Estelita Tapajós, Diana Pinheiro e o Ceti Gilberto Mestrinho. A Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) também disponibilizará o hotel da Vila Olímpica.

Publicidade
Publicidade