Publicidade
Manaus
CELEBRAÇÃO

Academia de Ciências e Letras Jurídicas do AM celebra 30 anos de Constituição

Os integrantes da ACLJA celebraram a vigência da Constituição Cidadã e a figura do Senador Bernardo Cabral 05/10/2018 às 18:48 - Atualizado em 05/10/2018 às 18:48
Show mat ria do dr julio aea16a57 c3c4 4a47 8a52 63b50b91b072
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A Academia de Ciências e Letras Jurídicas do Amazonas (ACLJA) reuniu seus integrantes na noite de quinta-feira (4), na Biblioteca e Memorial Senador Bernardo Cabral, na Zona Sul de Manaus, para discutir e comemorar os 30 anos de vigência da Constituição Cidadã, bem como a figura de seu Relator.

Na ocasião, recepcionados pelo historiador Abrahim Sena Baze, conheceram as instalações do Memorial, seus muitos itens e relíquias relacionadas a Bernardo Cabral. O local é aberto à visitação e consulta públicas. Baze, que é o curador da entidade, disse que concebeu o espaço por delegação do jornalista Phelippe Daou, o qual vislumbrara a importância de manter viva, para as novas gerações, o exemplo de vida de Bernardo Cabral.

 Para Júlio Antonio Lopes, vice-presidente da ACLJA, a data não poderia passar em branco. “Por pelo menos dois motivos precisávamos estar juntos no dia de hoje. Primeiro, pela Constituição, que completa 30 anos de existência, sem quaisquer espécies de rupturas institucionais. Sobrevivemos a dois impeachment! E,  segundo, pela personagem maiúscula que inspirou a criação de nossa Academia e é o último estadista  que o nosso  país produziu,  o notável filho da Jaqueira, o amazonense Bernardo Cabral, Relator Geral da Constituição de 88”.

Estiveram presentes, dentre estudantes e demais convidados,  os acadêmicos Gaitano Antonaccio, Lúcia Viana, Marco Aurélio Choy, Sálvia Haddad, Pedro Lucas Lindoso, Cassius Clei Aguiar e Márcio Andre Lopes Cavalcante, assim como os advogados Laura Lucas e James Lins, e o jornalista Rômulo Sena.

A Academia doou ao Memorial um quadro de sua fundação, com Bernardo à frente; um exemplar do Colar Acadêmico; um exemplar da Medalha de Ouro e do Mérito J. Bernardo Cabral, a maior comenda da entidade; uma maquete da Faculdade de Direito da Universidade Federal, onde o Relator estudo e conclui seu curso; três exemplares dos livros “Bernardo Cabral, um Estadista da República”, de autoria de Júlio Antonio Lopes; e  mais três exemplares do livro “25 anos de Constituição Cidadã”, obra multiautoral de juristas amazonenses; e três exemplares do livros “Estudos de Direito Constitucional – Homenagem a J. Bernardo Cabral”, com juristas do restante do país.

Publicidade
Publicidade