Publicidade
Manaus
ZONA LESTE

Adolescente confessa morte de idoso e alega ter visto vítima estuprando cadela

Segundo Orlando Amaral, moradores da área conheciam a autoria do crime, assim como a motivação, mas preferiram não denunciar o adolescente, pois o idoso era conhecido na área por praticar zoofilia 14/12/2018 às 15:38 - Atualizado em 15/12/2018 às 02:18
Show jander robson f7392f33 bec8 4b2c a98d 2478d407394e
Local onde ocorreu o crime Foto: Jander Robson - 11/12/2018
Joana Queiroz Manaus (AM)

Um adolescente de 16 anos de idade é o assassino confesso do  idoso Gildo Peixoto de Andrade, de 70 anos, que  foi encontrado morto dentro de sua residência na rua Pau Brasil, no bairro Monte de Oliveiras, na Zona Norte de Manaus, no dia 11 deste mês. O adolescente justificou o crime dizendo que encontrou a vítima fazendo sexo com uma cadelinha.

Ele foi preso na manhã desta sexta-feira (14) em um sítio de parentes no Tarumã-Açu, Zona Rural de Manaus, de acordo com os policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), num local de difícil acesso. O adolescente, ao ser abordado, não ofereceu nenhuma resistência e demonstrando revolta disse que não estava arrependido.

Ao titular da DEHS, Orlando Amaral, o adolescente disse que as investigações para elucidar a morte do idoso começou logo após o corpo ter sido descoberto. Moradores da área conheciam a autoria do crime, assim como a motivação, mas preferiram não denunciá-lo, pois a vítima era conhecida na área pela praticar zoofilia.

De acordo com o depoimento do adolescente, no dia do crime, era de noite e a vizinhança começou a ouvir o choro da cadelinha vindo do rumo da casa do idoso. O adolescente disse que ele e um colega foram ver o que estavam acontecendo com o animal e encontraram Gildo tendo relações sexuais com o animal.

O adolescente disse que ele e o colega ficaram revoltados e partiram contra o idoso. O primeiro deu uns tapas na vítima e ele pegou uma perna-manca e agrediu Gildo. “Eu não tinha a intenção de matá-lo”, disse. O adolescente será encaminhado para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI).

Publicidade
Publicidade