Domingo, 26 de Janeiro de 2020
LUTO

Arlindo Júnior, o eterno Pop da Selva, morre aos 51 anos

Levantador de toadas lutava desde 2016 contra o câncer e faleceu na noite deste domingo, no Hospital Samel



AB8689E5-427B-463E-8192-85E9A7F96ECD_E078AAB3-1408-4DDA-BD9D-1E81D12FBBA0.jpeg
29/12/2019 às 23:18

Morreu, na noite deste domingo, o cantor Arlindo Júnior. Aos 51, ele vinha enfrentando uma luta contra o câncer e faleceu no Hospital Samel, onde deu entrada há dois dias. O velório começa às 8h deste dia 30, no Centro de Convenções Vasco Vasquez - ao lado da Arena da Amazônia.

Um dos maiores nomes da história do boi-bumbá no Amazonas, Arlindo Júnior vinha enfrentando uma dura batalha contra o câncer desde 2016. Descoberta inicialmente nos pulmões, a doença avançou para os ossos e também para o cérebro.  Ele fazia acompanhamentos em São Paulo e Manaus. 

Levantador de toadas e apresentador do Caprichoso, Arlindo Júnior dedicou mais de 30 anos da sua vida ao boi-bumbá. Ganhou o apelido, nos anos 90, de Pop da Selva, por inserir, nas toadas, elementos e instrumentos da música pop. Sucesso absoluto, ele era admirado tanto pelo lado azul quanto pelo vermelho do Amazonas. 



Dedicou-se, também, à vida política, exercendo mandato de vereador. Nos últimos anos, mesmo com a doença, não deixou de se apresentar. No Festival de Parintins deste ano, despediu-se daquela que foi sua casa, o Bumbodromo de Parintins, cantando a toada Pesadelo dos Navegantes, toada de Ronaldo Barbosa que ficou eternizada na voz dele.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.