Publicidade
Manaus
ASSALTO

Bandidos fazem escudo humano com reféns em assalto a lotérica na av. Grande Circular

Encapuzados e armados com fuzis, os assaltantes exigiam drogas para consumo próprio e um veículo para fuga. Situação no local é complicada. 13/10/2018 às 16:02 - Atualizado em 13/10/2018 às 16:20
Show fe28989b 41a7 40e6 a7a2 04f076b07524 4b79b5a5 669f 40f3 be79 b370494062f6
Foto: Junio Matos
Vinícius Leal e Silane Souza Manaus (AM)

Os bandidos que invadiram uma casa lotérica na avenida Grande Circular, na Zona Leste de Manaus, na tarde deste sábado (13), e fizeram pessoas reféns, utilizaram as próprias vítimas como escudo humano para fugir do local. Encapuzados e armados com fuzis, os assaltantes exigiam drogas para consumi próprio e um veículo para fuga.

A saída deles com o escudo humano ocorreu após negociação com a polícia. Os assaltantes reivindicavam a presença de uma advogada, de familiares deles e autoridades de defesa dos direitos humanos.

A advogada Raiany Priscila Feijó afirmou à reportagem do Portal A Crítica que foi contatada pela esposa de um dos assaltantes e, quando eles avistaram a profissional, decidiram sair de dentro da casa lotérica rodeados pelos reféns. Segundo ela, a droga exigida seria para consumirem e, assim, “não sentirem nada” caso “alguma coisa acontecesse”.

Entenda o caso

Bandidos fortemente armados invadiram na tarde deste sábado (13), em Manaus, uma casa lotérica localizada na avenida Grande Circular, Zona Leste, e fizeram pessoas reféns. Barulhos de tiros e gritos foram ouvidos. Segundo a polícia, dez vítimas permaneciam sob a posse dos assaltantes e outros dez foram liberadass.

Um forte esquema de segurança foi montado no local, com dezenas de viaturas e equipes policiais, inclusive com a interdição das duas vias da avenida Grande Circular. A operação de negociação com os bandidos e a liberação dos reféns foi comandada pelo secretário de Segurança Pública (SSP), coronel Amadeu Soares, com apoio da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam).

Publicidade
Publicidade