Publicidade
Manaus
REQUERIMENTO

Capitão Alberto Neto cobra do ministro Paulo Guedes definição sobre a Suframa

Coronel reformado do Exército chegou a ser anunciado, mas nunca foi nomeado para a Superintendência da Zona Franca de Manaus. 13/02/2019 às 15:56
Show whatsapp image 2019 02 13 at 15.55.40 f0761a29 d334 460c 9a42 a16a32b35eea
acritica.com Manaus

O deputado federal Capitão Alberto Neto (PRB-AM) enviou um requerimento ao presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), para que seja solicitada ao ministro da economia, Paulo Guedes, a nomeação imediata de um gestor técnico para a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

No dia dia 8 de janeiro, o coronel reformado do Exército Brasileiro, Alfredo Menezes, foi anunciado pelo Governo Federal como o novo superintendente do órgão. Um mês e meio depois, nem ele, nem nenhum outro substituto, foram nomeados. Com isso, Áppio Tolentino, que assumiu a Suframa em junho de 2017, segue no comando do órgão.

Prestes a completar 52 anos de existência, a autarquia atua em toda a Amazônia Ocidental com geração de mais de dois milhões postos de trabalho de forma direta e indireta. Alberto Neto teme que a falta de uma direção capacitada a frente da Suframa coloque em risco o futuro do modelo econômico. 
 
"A Zona Franca é primordial para a região, pois é por meio dela que muitas famílias têm emprego e renda. A economia do País e, principalmente, do Amazonas é muito atingida quando há alguma ameaça ao Polo Industrial de Manaus, então é necessário que os ministros deem a atenção devida para escolha de um gestor para o órgão", disse.  
 
Para o deputado a falta de um administrador na Suframa é muito grave, pois pode acarretar prejuízos econômicos não só para o Amazonas, mas para todo Brasil. Por isso, viu a necessidade de requerer ao Governo Federal mais celeridade e cautela na escolha do superintendente. 
 
"Nós precisamos de um técnico, alguém que conheça o funcionamento e a importância do órgão para assumi-lo e acreditamos que essa nomeação precisa ser feita logo para que nosso Estado não sofra ainda mais com o desemprego", concluiu o deputado.

Publicidade
Publicidade