Publicidade
Manaus
ECONOMIA

Chineses se reúnem com governo do AM para debater exploração de potássio em Autazes

Pontos para implantação de uma mina com vida útil está estimada em pelo menos 30 anos foram discutidos nesta quinta-feira (17) 17/01/2019 às 21:28 - Atualizado em 17/01/2019 às 21:47
Show whatsapp image 2019 01 17 at 20.23.15 b9d65044 a65d 40d2 91ad 1bd0803ce062
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Na manhã desta quinta-feira (17), uma comitiva constituída por executivos do conglomerado de empresas chinês Citic, que opera em diversos segmentos econômicos, reuniu-se com secretários de Estado do Governo do Amazonas para avaliar o cenário de investimento na exploração do potássio no município de Autazes, localizado a 107 km de Manaus.

No encontro, do qual participaram os secretários de Fazenda (Sefaz-AM), do Planejamento (Seplancti), do Meio Ambiente (Sema) e do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), foram discutidos os principais pontos para a implantação de uma mina cujo tempo de vida útil está estimado em pelo menos 30 anos e que deverá movimentar a economia do município, que possui cerca de 38 mil habitantes, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017.

A empresa, que opera internacionalmente nos segmentos de Serviços Financeiros, Recursos Naturais, Agronegócio, Energia, Engenharia, Construção Civil, Manufatura, Telecomunicações e Imobiliário, vislumbra, no Amazonas, um grande potencial de desenvolvimento do setor de Potássio, um dos componentes de fertilizante agrícola, porque o Estado possui a maior reserva do País, estimada em um bilhão de toneladas.

Licenciamento ambiental

O presidente do Ipaam, Juliano Valente, ressaltou a questão do licenciamento ambiental, que, para os investidores, é de suma importância. “Já temos um processo de licenciamento, no qual a análise já foi concluída. E dessa análise, dois pontos são importantes: acompanhar a execução dos planos e programas de mitigação dos impactos socioambientais e definir as áreas onde serão implantados os recursos da compensação ambiental”, ressaltou.

Novas matrizes econômicas

O secretário de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação, Jório Veiga, salientou que o governador Wilson Lima determinou a prospecção de novas matrizes econômicas em consonância com as diretrizes do Governo Federal. “Estivemos, em Brasília, e o ministro Paulo Guedes sinalizou que o Amazonas tem aval do Governo Federal para estudar novas cadeias produtivas para promover o desenvolvimento regional”, enfatizou.

Uma das propostas apresentadas foi a estruturação de um grupo de trabalho composto por técnicos do Governo do Amazonas, que terá como encargo o levantamento das questões fiscal, tributária, ambiental e obrigações legais para identificar os caminhos mais eficientes para o cumprimento das regras brasileiras em consonância com os interesses da empresa, que pretende começar a investir na extração do potássio de Autazes ainda em 2019.

Publicidade
Publicidade