Publicidade
Manaus
ECONOMIA

Coreia do Sul procura novos setores para investir na Zona Franca de Manaus

Embaixador sul-coreano visita o Amazonas esta semana e sonda ambiente para expansão de negócios além das gigantes Samsung e LG 29/01/2019 às 15:31
Show vice presidente da fieam  nelson azevedo junto ao embaixador da coreia do sul  chan woo kim 7f76bc14 8cdd 4cf3 a220 4e0a7c640649
O vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo, junto ao embaixador Chan Woo Kim. Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A Coreia do Sul quer ampliar sua presença na Zona Franca de Manaus para além dos setores eletroeletrônico e de linha branca, representados hoje pelas gigantes Samsung e LG. O assunto foi discutido, nessa segunda-feira (28), na visita do embaixador Chan Woo Kim à Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam).

O interesse de Woo Kim, que tinha agendada para esta terça-feira (29) reunião também com o governador Wilson Lima, é sondar o ambiente para ver que outros investimentos de empresas sul-coreanas seriam bem-vindos na ZFM. “Nós sabemos do grande apoio que nossas empresas receberam durante todo esse tempo do governo estadual e federal, além do contínuo apoio desta casa”, lembrou o embaixador.

O vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo, ressaltou que as duas empresas coreanas presentes no estado são muito representativas para o Polo Industrial de Manaus (PIM). Para gozar dos incentivos fiscais estipulados pelo Decreto Lei Nº 288/1967, lembrou Azevedo, é possível se produzir de tudo no estado, afora automóvel de passeio, perfumes, armas e munições, bebidas alcoólicas e fumo.

“Não tenho dúvida de que a iniciativa privada é a alavanca para o desenvolvimento econômico do estado. Se o setor privado vai bem o estado arrecada. Tivemos anos muito difíceis para a economia, porém quando há uma recuperação do país como um todo aqui normalmente nós crescemos mais. A nossa bolsa de produto é muito voltada para o mercado interno, então quando a economia do Brasil vai bem a gente vai melhor ainda” disse Azevedo.

A nomeação do novo superintendente da Suframa foi levantada por Azevedo como crucial e que deveria constar na agenda do embaixador com o governador, para dar “celeridade” ao processo. “A principal autarquia da região está paralisada diante do impasse da nomeação”, frisou ele.

A ideia, de acordo com o assessor econômico da Fieam, economista Gilmar Freitas, é que a Suframa volte a ser um órgão à frente do desenvolvimento regional e tenha acima de tudo autonomia para suas ações.

Para o embaixador, esse aspecto precisa ser pontuado. “A nomeação da Suframa importa tanto para as empresas brasileiras, que estão aqui estabelecidas, quanto para as coreanas que não deixam de ser indústria nacional. Certamente na reunião com o governador Wilson Lima, irei pedir para que se reflita sobre o assunto e se dê celeridade a esse processo”, prometeu ele.

Essa foi a segunda visita a Manaus do embaixador Chan Woo Kim, sendo a primeira marcada pelo convite ao presidente da Fieam, Antonio Silva, para ser cônsul da Coreia do Sul e dar o suporte na intensificação das relações entre as indústrias da Coreia do Sul e do Amazonas.

Publicidade
Publicidade