Publicidade
Manaus
OPERAÇÃO

Delegada da Polícia Civil do AM é presa suspeita de corrupção e tráfico de drogas

Segundo a SSP, que deflagrou operação para prender a delegada e outros envolvidos, as autoridades públicas protegiam traficantes locais ao invés de combatê-los 19/10/2018 às 10:22 - Atualizado em 19/10/2018 às 11:11
Show 60616b0e 8940 47fe ac95 882b4f762915 ad6d0097 0ea8 4cc5 ab75 943e5f7f6311
Foto: Reprodução/internet
acritica.com

A delegada de Polícia Civil do Amazonas Alessandra de Souza Braga foi presa em Codajás, município onde atuava, suspeita de crimes de corrupção e tráfico de drogas. Ela foi capturada durante a Operação Navalha, deflagrada na manhã desta sexta-feira (19) em Codajás, a cerca de 240 quilômetros de Manaus, por órgãos da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Também foi preso um traficante líder de uma organização criminosa.

Participam da operação a Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), a Corregedoria Geral de Segurança Pública e a Polícia Civil. Ao todo foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva contra a delegada e o traficante, quatro mandados de busca e apreensão em setores da 78ª Delegacia Interativa de Polícia de Codajás e na Companhia da Polícia Militar, e também um mandado de busca e apreensão na capital, Manaus.

De acordo com a SSP, o objetivo da Operação Navalha é combater crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção ativa e passiva e exploração de prestígio envolvendo agentes públicos de segurança em Codajás. Conforme a secretaria, os envolvidos tinham como principal atividade o comércio e transporte de drogas, promovida por um traficante local, que mantinha uma grande rede logística em municípios próximos como Coari e com conexões até na cidade de fronteira Tabatinga. Eles coordenavam o tráfico de grandes quantidades de drogas e também possuíam munições de armas de fogo de calibre restrito.

‘Piratas dos rios’

Segundo as investigações, os criminosos ainda atuavam como “piratas dos rios”, promovendo ataques a embarcações de traficantes rivais. Durante o acompanhamento do caso, a SSP acabou verificando a participação de agentes públicos responsáveis pela segurança pública de Codajás, que protegiam os traficantes ao invés de combatê-los.

As diligências ainda estavam sendo cumpridas na manhã desta sexta-feira (19) em Codajás. Uma coletiva de imprensa deverá ser realizada hoje à tarde, em horário e local a serem informados posteriormente.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade