Publicidade
Manaus
CRESCIMENTO

Em 15 anos, focos de calor aumentam 983% na capital, aponta pesquisa

Observatório da Região Metropolitana de Manaus (ORMM) mostrou ainda que desmatamento na cidade subiu 18% de 2000 a 2015. Expansão da cidade é um dos principais motivos 11/05/2018 às 13:43
Show calor
Foto: Arquivo/AC
Silane Souza Manaus (AM)

A Região Metropolitana de Manaus (RMM) registrou, de 2000 a 2015, aumento de 2.061,36% no número de focos de calor e 29,04% no de desmatamento. No município de Manaus, os dados também cresceram bastante, 983% e 18,80% respectivamente. 

Os dados foram apresentados pelo Observatório da Região Metropolitana de Manaus (ORMM) em parceria com a Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Câmara de Manaus (COMMARESV/CMM) durante audiência pública realizada nesta sexta-feira (11), na Câmara Municipal de Manaus. 

No caso de Manaus, os pesquisadores apontam que a expansão da cidade nesses 15 anos em 4,39% é um dos principais motivos para o crescimento de focos de calor e desmatamento, que ocorreu principalmente sobre áreas de florestas nativas da região. A capital amazonense passou de 232,80 km², em 2000, para 243,02 km², em 2015.

O secretário executivo do ORMM, Artur Monteiro, destacou que esses dados podem ajudar na implementação de políticas públicas na RMM. “A gente vem trabalhando esses dados para no futuro começar a fazer um planejamento que seja efetivo, Plano Diretor que respeite a floresta. Não podemos esquecer que estamos no meio da floresta. Temos que promover um desenvolvimento que seja exemplar”, enfatizou. 

Os estudos apresentados na audiência pública foram conduzidos pelo Grupo de Trabalho de Monitoramento de Riscos Socioambientais e Mudanças Climáticas do ORMM, uma rede horizontal de pesquisadores e ativistas qualificados – do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa); Universidade Federal do Amazonas (Ufam); Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e Fundação Vitória Amazônica (FVA) – para discutirem a causa urbana e ambiental.

Na ocasião também foram debatidos temas como saúde, violência, avanço dos impactos ambientais sobre a cidade e outros assuntos importantes para a orientação de políticas públicas eficientes contextualizadas com as questões urbana e ambiental na região.

Publicidade
Publicidade