Publicidade
Manaus
SEGURANÇA

Ex-prefeito de Nova York entrega 1ª fase de consultoria e propõe Banco de DNA

Consultoria de segurança feita no Amazonas pelo criador do programa “Tolerância Zero” deve continuar por pelo menos 1 ano 27/06/2018 às 17:12
Show giuliani e amazonino
Foto: Divulgação
acritica.com* Manaus (AM)

O governador Amazonino Mendes recebeu o relatório técnico da primeira fase do trabalho realizado no Amazonas pelo escritório internacional em consultoria de segurança Giuliani Security & Safety (GSS) nesta quarta-feira (27) em evento no Centro Cultural Palácio Rio Negro, no Centro de Manaus. Um dos pontos indicados por Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York e proprietário do escritório, para melhorar o setor de segurança no Estado é a criação do Banco de DNA.

No documento entregue a Amazonino, estão as recomendações para as próximas etapas do projeto de modernização e melhoria do sistema de segurança pública do Amazonas, cujo o objetivo é a redução da criminalidade. Em abril, o governo anunciou que o Amazonas seria o primeiro estado do Brasil a receber consultoria de Rudolph Giuliani, o criador programa “Tolerância Zero”, implantado em Nova York quando era prefeito e que reduziu o índice de criminalidade em mais de 60%, entre 1994 e 2002.

Durante o evento desta quarta-feira, Amazonino comentou sobre a criação do Banco de DNA.

“Em nossos encontros que tivemos preliminares, nos EUA, em particular, começamos a nos inteirar na forma cientifica de combate moderna, de tecnologia de combate ao crime. E nos foi aclarado que um dos caminhos inarredáveis, básicos, fundamentais, que, por sinal, constou na fala do doutor Giuliani, é exatamente o Banco de DNA. É ele que em última análise auxilia e ajuda na elucidação de crimes, também na rapidez dos julgamentos. Porque é a forma mais eficaz e moderna encontrada no mundo para se identificar o criminoso”, afirmou.

Plano de ação

Rudolph Giuliani, informou que, na primeira fase, foram compilados dados sobre a realidade do sistema de segurança e que o andamento das atividades consistem em mais duas etapas, sendo cada uma delas com duração de seis meses.

 “A primeira fase já acabou e consiste no que foi feito no passado (levantamento de dados) e o que tem de ser implementado imediatamente. Pelo que a gente viu, vamos ter mais duas fases, seis meses cada uma. E depois vamos ver como vai ser o andamento, talvez com mais duas etapas, mas não tão intensas como as primeiras”, disse o diretor-presidente.

Segundo o diretor-executivo da GSS, John Huvane, em agosto parte da equipe especialista em sistema prisional desembarcará no estado para dar continuidade na consultoria.

“A próxima fase vamos lidar com as prisões, em agosto. Vamos trazes especialistas das esferas estadual e federal dos EUA para lidar com isso, para a gente fazer um levantamento e um relatório. Esse relatório vai para o governador, e depois ele vai passar para os agentes de segurança dele, e depois discutir ponto a ponto as 30 páginas de relatório”, informou o norte-americano.

*Com informações da assessoria de imprensa.

Publicidade
Publicidade