Publicidade
Manaus
RACHA

Facções Família do Norte e Comando Vermelho rompem aliança, afirma delegado

O titular da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Guilherme Torres, deu declarações ao UOL que levantam a suspeita de envolvimento do Comando Vermelho na fuga de presos do CDPM 2 14/05/2018 às 20:29 - Atualizado em 15/05/2018 às 08:42
Show drco
Foto: Gilson Melo
acritica.com Manaus (AM)

A aliança entre a facção criminosa amazonense Família do Norte (FDN) e a carioca Comando Vermelho (CV) acabou. A afirmação é do delegado Guilherme Torres, titular da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e foi publicada em reportagem do portal de notícias UOL nesta segunda-feira (14).

De acordo com o que Torres declarou ao UOL, o rompimento da parceria aconteceu depois que os líderes da FDN descobriram um plano de traição arquitetado pelo ex-integrante da facção Gelson Carnaúba, o “Mano G”. Carnaúba era um dos principais líderes da FDN, ao lado de José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, e João Pinto Carioca, o “João Branco”.

“Quando eles descobriram o plano, expulsaram o Gelson. Como ele já tinha ligações fortes com o Comando Vermelho desde os tempos em que estava em Campo Grande, agora, ele é o homem do CV no Amazonas”, afirmou o delegado.

Atualmente, "Zé Roberto da Compensa"", "João Branco" e "Carnaúba" estão no Presídio Federal de Catanduvas (PR).

Ligação do Comando Vermelho com a fuga de presos no CDPM 2

As declarações do delegado Guilherme Torres levanta a suspeita de envolvimento da facção Comando Vermelho com a fuga de 35 presos no Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2), em Manaus, no último sábado (12).

Kaio Wellignton Cardoso dos Santos, vulgo “Mano Kaio”, um dos 35 presos que fugiram da unidade prisional localizada no km 8 da rodovia BR-174 (Manaus – Boa Vista), é ligado ao Comando Vermelho e apontado como ‘soldado’ de Gelson Carnaúba.

"Mano Kaio" foi preso no dia 18 de agosto do ano passado, no Rio de Janeiro. Ele chegou em Manaus no dia 22, e foi apresentado no 23. Durante a apresentação, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) à época, Juan Valério, revelou que o criminoso planejava um ataque aos traficantes do Igarapé do 40 e que a série de mortes entraria para história do Amazonas.

Segundo Torres, a maior parte dos homicídios que estão sendo registrados recentemente nos bairros Mutirão, Zona Norte de Manaus, e na região do Igarapé do 40, na Zona Sul, são decorrentes do conflito por pontos de drogas entre Comando Vermelho e Família do Norte. “Nós temos registrado pelo menos um homicídio nesses bairros por dia”, declarou o Torres ao Uol.

Outro conflito gerado pelo racha entre CV e FDN, segundo Torres, é a disputa pela rota do tráfico de drogas no rio Solimões. Agora, a briga pelo controle da rota sai da disputa entre a aliança de amazonenses e cariocas contra o Primeiro Comando da Capital (PCC) e passa a ser feita pelas três facções criminosas.

A reportagem do Portal A Crítica tentou entrar em contato com o delegado Guilherme Torres, mas não obteve sucesso.

Publicidade
Publicidade