Quarta-feira, 21 de Abril de 2021
LEILÕES

Grupo que gere o Aeroporto de Lisboa vai comandar os aeroportos de Manaus, Tefé e Tabatinga

A proposta do grupo foi de R$ 420 milhões por todo o bloco de sete aeroportos na Região Norte; contrato será de 30 anos com estimativa de geração de 24 mil empregos



aeromao_4AAB80CF-92B0-42E2-8016-4AEC26EF379C.jpg
07/04/2021 às 11:21

O grupo francês Vinci Airports, responsável pela administração dos Aeroportos de Lisboa e Santiago, vai administrar o Aeroporto de Manaus, Tefé, Tabatinga e outros quatro aeroportos da região Norte pelos próximos trinta anos.

A proposta do grupo foi de R$ 420 milhões por todo o bloco de sete aeroportos, contra R$ 50 milhões- pouco mais que a oferta mínima prevista, de R$ 48 milhões -  que haviam sido ofertados pelo consórcio Aerbrasil. A definição ocorreu em leilão na manhã desta quarta-feira, como parte da 'InfraWeek', realizada pelo Ministério da Infraestrutura.



No leilão, o presidente do grupo afirmou, em português, que a aquisição dos sete aeroportos faz parte de uma estratégia de expansão no Brasil e na América Latina respeitando as políticas ambientais, favorecendo a criação de 'aeroportos verdes'. "“Estamos quase dobrando a quantidade de equipamentos na região (com este leilão) e queremos criar aeroportos verdes para a região com nossa política de desenvolvimento sustentável”, disse Nicolas Notebaert, acrescentando que acredita no potencial dos aeroportos no pós-pandemia.

Entre os aeroportos administrados pela Vinci, estão o Aeroporto de Lisboa, em Portugal, Aeroporto de Santiago, no Chile, e Aeroporto de Londres-Gatwick, no Reino Unido. No Brasil, a Vinci Airports gere o Aeroporto de Salvador desde 2018. 

Além de Manaus, Tabatinga e Tefé, o bloco conta com os aeroportos de Porto Velho (RO), Rio Branco e Cruzeiro do Sul (AC) e Boa Vista (RR). O compromisso de investimento é de R$ 1,4 bilhão nos sete aeroportos, sendo que pouco mais da metade destes deve ser destinado aos aeroportos do Amazonas, segundo o secretário nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura, Ronei Glanzmann. Ele prevê um investimento de R$ 782 milhões no Estado.

"O resultado desse leilão foi extraordinário e superou todas as expectativa", afirmou o ministro Tarcísio Freitas. A estimativa é de que sejam gerados pelo menos 24 mil empregos ao longo do período de contrato.

*Inicialmente, publicamos, equivocadamente, que o grupo Vinci era responsável por gerir o Aeroporto Charles de Gaulle, em Paris. A informação foi corrigida às 11h51.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.