Publicidade
Manaus
HOMENAGEM

Grupo Rouge homenageia jovem assassinado em Manaus junto com a tia

Fã da banda, Alexandro Matheus, 31, e a tia, Arlete de Almeida, uma idosa de 70 anos, foram agredidos até a morte. O grupo usou as redes sociais para lamentar o caso 05/12/2018 às 12:20 - Atualizado em 05/12/2018 às 12:30
Show rouge alterar dois ea067fb1 0dfe 4b97 ad4f e54b27716708
A vítima tinha várias fotos com as integrantes da banda (Foto: Reprodução/Twitter)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

O grupo Rouge fez uma homenagem nesta quarta-feira (5) ao vendedor Alexandro Matheus Araújo de Lima, 31, assassinado ontem junto com a tia dele dentro da casa onde moravam no conjunto Hiléia, na Zona Centro-Oeste de Manaus. Fã da banda, Alexandro e a tia, Arlete de Almeida, uma idosa de 70 anos, foram agredidos até a morte. O Rouge usou as redes sociais para lamentar o caso.

Na primeira postagem, feita no Twitter, o grupo musical afirmou que Alexandro era um fã conhecido pelas cinco integrantes do Rouge. "Acordamos com a tristíssima (sic) notícia da violenta morte de um fã muito querido nosso, de Manaus, o Alexandro Mateus. Nos lembramos dele nos recebendo com muito carinho lá no hotel da cidade...c ertamente Deus o recebeu de braços abertos, como merecia", disse a banda, completando a mensagem com um emoticon de coração.

A banda também fez uma segunda postagem, também no Twitter, com fotos das integrantes Aline Wirley, Fantine Thó, Karin Hils, Li Martins e Lu Andrade ao lado de Alexandro. "Nossos sinceros sentimentos à família e, onde você estiver, Alex, receba nosso amor. Que fique em paz!", completou o grupo.

Morte do vendedor

Segundo familiares, os corpos do sobrinho e da tia foram encontrados por um amigo de trabalho de Alexandro, que estranhou a ausência dele na loja onde a vítima era funcinária. O colega de trabalho decidiu ir até a casa de Matheus Alexandro e se deparou com a cena do crime.

Ainda de acordo com um familiar, o amigo entrou no imóvel pulando o muro após ver marcas de sangue pela janela. As vítimas foram encontradas pela polícia despidas nos banheiros dos quartos e com as cabeças esmagadas no chão. “Não sabemos o que pode ter acontecido porque não temos até agora nenhuma pista. Mas a casa está bagunçada e parece ter sido tentativa de roubo também”, afirmou.

A polícia trabalha com a possibilidade de o autor do crime ser alguém que tinha acesso livre a casa. O caso segue sendo investigado.

Publicidade
Publicidade