Terça-feira, 07 de Dezembro de 2021
Refugiados

Haitianos possivelmente vítimas de tráfico humano são abrigados em Manaus

Grupo desembarcou em Manaus no domingo (29). Os haitianos foram divididos em grupos e estão hospedados em dois hotéis da capital



SEJUSC2_FDCF6121-DFE3-42A1-AA74-011EDB3EC866.jpeg Foto: Raine Luiz / Sejusc
29/09/2021 às 18:59

Um grupo de 80 haitianos desembarcou em Manaus, de forma ilegal, no domingo (26), em viagem interceptada no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. A suspeita é que o grupo tenha sido vítima de esquema de tráfico de pessoas e agora, as dezenas de pessoas recebem apoio humanitário da Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH).

O voo, da empresa aérea surinamesa Fly All Ways, saiu de Porto Príncipe, capital do Haiti, com destino a Manaus. Ao desembarcarem no aeroporto, as equipes do Núcleo de Polícia Aeroportuária da Polícia Federal, que atuam 24h no local, constataram a falsificação do Registro Nacional de Estrangeiros (RNE), documento que atesta a identidade de estrangeiros com residência temporária ou permanente no território brasileiro.

Segundo a PF, após constatação da falsificação dos documentos, a entrada dos passageiros foi impedida, e a tripulação proibida de retornar ao Suriname. Na segunda-feira (27), o Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM), a Defensoria Pública da União e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) solicitaram o refúgio dos migrantes.

De acordo com a secretária Mirtes Salles, titular da Sejusc, o Departamento de Promoção e Defesa de Direitos (DPDD) está cuidando do caso, prestando apoio social, alimentação e logística.

"A Sejusc possui uma Gerência de Migração, Refúgio, Enfrentamento ao Tráfico Humano e Trabalho Escravo (GMIG) que atua nesses casos, no intuito de garantir os Direitos Humanos a migrantes de outros países", disse a gestora.

Na terça-feira (28), a secretária realizou visita técnica em dois possíveis locais para verificar a possibilidade de instalação de abrigo temporário para os migrantes.

AJUDA HUMANITÁRIA

Os passageiros realizaram testes para a Covid-19, entre outras medidas sanitárias necessárias asseguradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-RCP) e Secretaria Municipal de Saúde (Semsa Manaus). Um paciente testou positivo para a doença, mas já está isolado e sendo acompanhado pelas autoridades sanitárias.

Segundo a chefe do Departamento de Promoção e Defesa dos Direitos, Gabriella Campezatto, os haitianos foram divididos em grupos e estão hospedados em dois hotéis da capital. A Sejusc atua na logística ao deslocamento dos migrantes e alimentação.

De acordo com o MPF, duas crianças que não estavam acompanhadas foram encaminhadas para o Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes (Saica), da Prefeitura de Manaus.

Ainda de acordo com o órgão, os migrantes cumprirão quarentena obrigatória. Após o período, serão encaminhados ao Posto de Identificação e Triagem, em Manaus, para os procedimentos de regularização migratória e depois poderão seguir viagem normalmente.



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.