Sábado, 20 de Julho de 2019
DUPLO HOMICÍDIO

Juíza decreta prisão preventiva de tenente acusado de matar colegas de farda da PM

Joselito Pessoa Anselmo foi preso em flagrante após matar um sargento e um cabo e ainda ferir um major e um borracheiro na madrugada deste sábado (5)



9e1eeb13-55ff-4827-b97b-0e6dcb8eee6e_D212A1C7-4A6A-40E8-9EDD-D587EF8C02C6.jpg Foto: Jander Robson
05/01/2019 às 19:59

A juíza plantonista Mirza Telma de Oliveira Cunha homologou na tarde deste sábado (5) a prisão preventiva do tenente Joselito Pessoa Anselmo, acusado de matar a tiros dois colegas de farda, o sargento Edizandro Santos Louzada, de 40 anos, e o cabo Grasiano Monte Negreiros, 36, na madrugada de hoje na cidade. Um major e um borracheiro também foram baleados, mas sobreviveram.

O duplo homicídio aconteceu por volta das 2h na rua Monte Horebe, bairro Colônia Santo Antônio, Zona Norte da capital. Na ocasião, o tenente e as quatro vítimas estavam dentro do mesmo veículo, uma viatura descaracterizada da Polícia Militar, retornando de uma festa. Em certo momento houve um desentendimento entre eles e o tenente Joselito, que é o comandante da 18ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), efetuou disparos nas vítimas. Bebidas alcoólicas foram encontradas dentro do automóvel.

Segundo informações da própria polícia, a viatura estava sendo conduzida pelo cabo Grasiano. Todos seriam levados para casa, quando houve a briga. O cabo Grasiano foi alvejado com um tiro na nuca e perdeu o controle da direção, fazendo o veículo capotar. O sargento Edizando foi atingido com um tiro na cabeça e ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

Os outros feridos são o major Lurdenilson Lima de Paula, 40, que foi baleado no ombro esquerdo e corria o risco de ficar paraplégico, e o borracheiro Robson Almeida Rodrigues, 25, ferido na mão. 

Preso em flagrante

Joselito foi preso em flagrante após o crime. No momento da prisão ele alegou que as vítimas foram baleadas por ocupantes de um veículo externo que os atacaram, versão contestada pelo major sobrevivente. Os PMs que prenderam o tenente Joselito também relataram que não observaram na lataria da viatura perfurações de tiro externo.

Após ser preso, o tenente acusado do duplo homicídio passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e por exame de resíduos de pólvora nas mãos, cujo resultado não tem prazo.

Hoje de manhã, ele foi conduzido para ser ouvido na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que investiga o caso, e, depois, foi levado para a sede do Batalhão de Choque situado na rodovia BR-174, onde permanecerá à disposição das autoridades.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.