Terça-feira, 25 de Junho de 2019
EM MANAUS

Mais agentes penitenciários devem ser contratados para presídios do AM, diz Moro

À tarde, o ministro visitará junto com o governador Wilson Lima o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), palco de 19 mortes na última semana de maio



sergio_moro_58EF964C-8435-4607-A5BF-BCA4651CF866.JPG Foto: Euzivaldo Queiroz
10/06/2019 às 10:25

Um dia após ter conversas vazadas sobre os rumos da Operação Lava Jato, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse nesta segunda-feira (10), em Manaus, que a contra a contratação de mais agentes penitenciários deve restabelecer o controle no sistema prisional do Amazonas. O ministro participa da abertura da reunião do Conselho Nacional dos Secretários de Estado da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Administração Penitenciária (Consej), no Hotel Quality Manaus, na Zona Centro-Sul de Manaus.

“Uma das causas dessa relativa falta de controle no sistema prisional no Amazonas é o número pequeno de agentes penitenciários. Por isso, vamos contratar e qualificar mais agentes”, disse Moro.

Mais cedo, o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Administração Penitenciária (Consej), Pedro Eurico, apontou que há três décadas não se faz um investimento qualitativo no sistema prisional.

“As penitenciárias viraram meros depósitos de pessoas. Isso tem que acabar. Passamos três décadas sem investimento no sistema prisional”, apontou.

O governador do Estado do Amazonas, Wilson Lima, aproveitou para destacar que hoje à tarde, visitará o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) com o ministro Sérgio Moro para inaugurar uma fábrica de panificação para os detentos. O Compaj, na última semana de maio, foi palco de 19 mortes.

“A fábrica, além de auxiliar no processo de ressocialização do detento, fornecerá pães para as unidades prisionais e para fora dela”, explicou.

Também aproveitou para destacar as particularidades do Estado, como a necessidade da construção de uma unidade prisional no interior, que depende “das condições dos rios [cheia e estiagem]”.

“Vale lembrar que o Amazonas não é produtor de entorpecentes. Fazemos fronteira com os maiores produtores [Colômbia e Peru] e, por isso, precisamos de auxílio do governo federal para combater a criminalidade no Estado”, destacou.

A reunião do Consej tem como objetivo apresentar o atual cenário do sistema prisional de cada estado, analisando os processos administrativos e de gestão, métodos de alocação de internos dentro das unidades, a redução de custos e as formas de incentivo do trabalho por meio da mão de obra carcerária.

O Consej é um fórum nacional que tem como membros os secretários estaduais de Justiça, de Direitos Humanos e de Administração Penitenciária. A reunião teve a presença de dirigentes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Receba Novidades

* campo obrigatório
News guilherme 1674 2977771b 6b49 41af 859a ef3c3b62eae8
Repórter do caderno de Cidades - Jornal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.