Publicidade
Manaus
ENSINO

Manaus sedia programa de capacitação de professores africanos em Língua Portuguesa

O programa é uma iniciativa da Organização dos Estados Ibero-americanos. O curso de formação vai até a próxima sexta-feira e acontece no Tropical Executive Manaus 19/11/2018 às 17:28
Show africanos 9c12ac32 06fb 47b6 bab7 d5bbd6817367
Foto: Michael Dantas/Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) e o Centro Nacional de Mídias da Educação do Amazonas (CNME) realizam a primeira formação para docentes do ensino fundamental em português por meio da mediação tecnológica. A oficina “Aperfeiçoamento em Língua Portuguesa para Professores Mediadores” começou nesta segunda-feira (19) e vai até a próxima sexta-feira, 23 de novembro. A iniciativa conta com a parceria do Ministério da Educação (MEC) e da Fundação Roberto Marinho.

O curso de capacitação acontece em Manaus e visa trocar a experiência com docentes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). A primeira turma é formada por professores da Guiné Bissau, Cabo Verde, Angola, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial.

A formação faz parte do Programa Ibero-americano de Difusão da Língua Portuguesa da OEI e contempla também professores brasileiros e de países que têm o espanhol como língua oficial. Além da formação de docentes, o Programa da OEI prevê o ensino de espanhol nas escolas públicas nas fronteiras do Brasil e de Portugal.

Os países Ibero-americanos concentram a maior nação bilíngue do mundo. São 800 milhões de homens e mulheres que estudam, trabalham e se socializam em dois idiomas distintos (espanhol e português) em uma mesma região. A familiarização com as duas línguas pode representar uma maior forma de convergência entre essas populações.

O Programa Ibero-americano de Difusão da Língua Portuguesa da OEI foi apresentado e aprovado pelos ministros da Educação dos países da Ibero-América na última Conferência Ibero-americana de Ministros e Ministras da Educação, ocorrida em setembro, em Antígua, na Guatemala.

No início deste mês, Brasil e a Espanha assinaram um memorando de entendimento para promover a formação continuada de professores do ensino fundamental em português. O acordo bilateral prevê capacitação e educação presencial mediada por tecnologia.

OEI e a CPLP

A proposta de educação e interculturalidade defende o diálogo entre pessoas e culturas nas línguas maternas mais faladas na Ibero-América. O português e o espanhol são, na maioria das vezes, as línguas oficiais de muitas organizações internacionais, o que reforça o diálogo ibero-americano com a comunidade internacional. Nesse sentido, a OEI busca reforçar a cooperação com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) – conforme acordo firmado na Conferência Ibero-americana de Ministros da Educação, no México, em 2014.

Este ano, a Organização dos Estados Ibero-americanos foi admitida como observadora associada da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A decisão foi ratificada na Cúpula de Chefes de Estado e de Governo realizada na cidade de Santa Maria, na Ilha do Sal, em Cabo Verde, em julho.

A candidatura da OEI foi apresentada como base de um planejamento concentrado em três grandes eixos: promoção da educação (em especial a primeira infância), da ciência e da cultura; promoção da língua portuguesa; e fortalecimento das relações entre as duas organizações no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. No início deste mês, Brasil e a Espanha assinaram acordo que visa promover a formação continuada de professores do ensino fundamental em português por meio de educação presencial mediada por tecnologia.

Publicidade
Publicidade