Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019
CASO FLÁVIO

Mayc é transferido para CDPM 2 após ser ameaçado de morte na DEHS

O lutador de MMA vai ficar sozinho na cela de número 1 do Pavilhão A do Centro de Detenção Provisória 2. Ele chegou a assumir a autoria da morte do engenheiro Flávio Rodrigues, que teve o corpo encontrado no dia 30 de setembro



36d523f9-3d88-401c-89ba-a2f9596fce08_E1D6332A-C18B-43CF-8094-12E27EEA5AE1.jpg Foto: Winnetou Almeida
18/10/2019 às 18:32

O lutador de MMA Mayc Parede foi transferido na tarde desta sexta-feira (18) para o Centro de Detenção Provisória (CDPM) 2, conforme determinação da Juíza da 3ª Vara do Tribunal do Júri, Ana Paula Braga. Ele vai ficar sozinho na cela 1, no pavilhão A da unidade prisional.

O lutador deixou a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) escoltado por dois policiais e com as mãos algemadas para trás. Com a aparência abatida, ele não respondeu nenhuma pergunta feita pelos repórteres.



No pedido de transferência feito pelo advogado de Mayc, Josemar Berçout justifica a decisão dizendo que o seu cliente estava sendo ameaçado de morte e sendo constrangido dentro da carceragem da DEHS, onde ele se encontrava preso.

Mayc é um dos envolvidos na morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, que teve o corpo encontrado no dia 30 de setembro. O lutador chegou a assumir a autoria do assassinato, versão contestada pelo delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Paulo Martins, que encontrou contradições nos depoimentos dos seis envolvidos no crime.

Entenda o caso

O engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos foi encontrado morto após uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira-dama do município Elisabeth Valeiko. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO) feito por um dos colegas do engenheiro, José Edvandro Martins de Souza Júnior, a casa de Alejandro foi invadida por dois homens mascarados que sequestraram e mataram Flávio.

Conforme os depoimentos, os homens encapuzados seriam o sargento Eliseu da Paz, segurança do prefeito de Manaus e familiares, lotado na Casa Militar, e o lutador de MMA Mayc Vinicius Teixeira Parede. Em depoimento à polícia, da Paz disse que foi por conta própria verificar como estavam as coisas na casa de Alejandro e resolveu dar um susto no filho do patrão. Na terça-feira (8), Mayc assumiu ser um dos mascarados e que matou o engenheiro.

Estão presos suspeitos de envolvimento no caso Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira-dama e dono da casa onde o crime ocorreu; Elielton Magno de Menezes Gomes Júnior e José Edvandro Martins de Souza Júnior, que estavam na residência como convidados de Alejandro; Vitório Del Gato, cozinheiro do anfitrião; além do sargento e Mayc.
 

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

18 Nov
bradesco_C22DD61C-FE71-4FDD-BB1B-A5B7C048EF01.JPG

TRT11 celebra acordo de R$ 1,1 milhão entre Bradesco e ex-funcionária

18/11/2019 às 11:20

A bancária ingressou com reclamação trabalhista contra o HSBC e o Bradesco em novembro de 2016, pretendendo receber o pagamento de diferenças salariais, horas extras, tempo a disposição da instituição financeira durante as viagens, além indenização pelos danos morais sofridos no ambiente de trabalho


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.