Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
PRONUNCIAMENTO

'Meu filho é doente, mas não é assassino', diz primeira-dama sobre morte de engenheiro

Testemunha sustenta que engenheiro Flávio Rodrigues, encontrado morto no dia 30 de setembro, foi sequestrado da casa de Alejandro Molina, filho da primeira-dama Elizabeth Valeiko, na noite anterior. Ele foi internado em uma clínica de reabilitação após o ocorrido



valeiko_22FF5771-DFE5-4E3A-87AA-C29ED3A17AA6.JPG Foto: Reprodução/Internet
02/10/2019 às 20:29

“Meu filho é doente, mas ele não é assassino. Ele não matou ninguém”. Essas são as palavras da primeira-dama do município, Elizabeth Valeiko, ao se posicionar sobre o envolvimento do filho na morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos. O pronunciamento ocorreu durante uma coletiva de imprensa junto ao prefeito Arthur Virgílio, na tarde desta quarta-feira (2). 

Questionada sobre a defesa do filho, Valeiko disse que defendia Alejandro e de todos os que sofrem com a dependência química de alguma forma. “O Alejandro é tão vítima quanto o Flávio, quanto o Junior, quanto o Magno. Eu só quero dizer uma coisa para vocês: o meu filho não matou ninguém. Assim como vocês eu estou aguardando, porque preciso entender o que aconteceu naquela noite”, afirmou ela. 



No encontro com a imprensa, que ocorreu em uma solenidade no palácio Rio Branco, Centro da cidade, para anúncia de assinatura de contratos da prefeitura, Valeiko defendeu o posicionamento do marido nas redes sociais e falou como encontrou o filho na noite do incidente.

“Naquele momento eu fui, meu filho estava sangrando. Levou uma coronhada na cabeça. O Júnior estava lá e o que eu falei foi o que o Júnior falou: foram para uma rave, usaram droga. Foram para casa do meu filho. Parem para pensar: se foram para a casa do meu filho, são amigos. Lá continuaram a usar drogas e ali nem eu sei o que aconteceu de fato”, contou.

“Meu filho, quando eu fui ao encontro dele, estava com a cabeça sangrando. A roupa toda ensanguentada, sem entender o que estava acontecendo, porque quem usa droga não tem noção de nada. ele me perguntou: mãe o que esta acontecendo, está tudo bem? Ele nem sabia  o que estava acontecendo com ele”, completou. 

Em defesa do marido, Valeiko disse que fica triste com mentiras que surgem em torno do assunto por ela ser esposa do prefeito. “Meu marido, que hoje é prefeito, fez papel de marido. Foi muito justo o que ele fez.  E as pessoas julgam, falando o que o Arthur tem haver com a doença do meu filho, ele é uma pessoa que tem sentimentos. Uma pessoa que tem feito o trabalho dele nessa cidade, uma gestão maravilhosa. Talvez esse seja o erro dele”, concluiu a primeira-dama ao afirmar que vai aguardar o resultado das investigações.

“Eu vou aguardar as investigações. O delegado tem sido uma pessoa extremamente séria, serena e muito correta ao passar as informações. Nós não podemos agora , nesse momento ficar tirando suposições. Isso agora, esse peso todo vem, porque é meu filho e eu sou esposa do Arthur. É muito simples”, pontuou.

Na coletiva, o prefeito reforçou o discurso em defesa do enteado. Ele afirmou que Alejandro Molina foi internado em uma clínica de reabilitação. “Eu confio plenamente no bom caráter do meu enteado. Tem muitos Alejandros na cidade e esse tem sido destaque porque é meu enteado. Lamento pela morte de quem não devia ter morrido. Quero me solidarizar com a família, mas não é um assunto para ficar discutindo”, disse.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.