Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
MANIFESTAÇÃO

Motoristas de app fazem protesto na Djalma e cobram fiscalização do preço da gasolina

Na semana passada, o aumento do combustível nas bombas chegou a subir  R$ 1,00 de um dia para o outro em Manaus. Protesto deve durar até as 18h segundo organizadores



PROTESTO_AD918DDC-E35E-4BA9-8877-62DF2BB9EAEB.JPG
Foto: Antonio Lima
21/01/2019 às 17:18

Pelo menos 200 carros, pertencentes a motoristas de aplicativos, pararam duas faixas da Avenida Djalma Batista na tarde desta segunda feira (21). O grupo protesta contra o aumento da gasolina e pede uma fiscalização mais rigorosa por parte do poder público em relação ao assunto. Na semana passada, o aumento do combustível nas bombas chegou a subir  R$ 1,00 de um dia para o outro.

Esse é um dos pontos que precisam ser vistos segundo o motorista Vando Amorim, 34, que trabalha como motorista de aplicativo ha seis meses. “A gente espera que algo seja feito, pois sobe do nada e ninguém faz nada. Assim fica complicado para todos, principalmente para quem trabalha como a gente”, reclamou.

Já o coordenador do protesto Alexandre Matias, 44, que é presidente de uma cooperativa, disse que a intenção é chamar a atenção de todos e cobrar mais rigidez nessas ações dos órgãos de defesa do consumidor. “Eles deveriam defender a gente. Dizem que estão ha nove meses investigando isso e dizem que foram surpreendidos assim como a gente.  A gente quer saber cadê as multas aplicadas a esses postos? Eles estão de fato pagando? A gente precisa que algo seja realmente feito”, questionou.

O protesto, segundo os organizadores, começou às 15h nas proximidades da Avenida Boulevard Álvaro Maia e deve durar até as 18h de hoje já na Avenida Djalma Batista. Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) e policiais militares estão presentes no local para organizar o trânsito.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.