Publicidade
Manaus
ASSASSINATO

Mulher é morta com tiro na cabeça disparado pelo esposo durante festa em Manaus

A vítima ainda chegou a ser socorrida e levada ao Hospital João Lúcio, mas já chegou ao local sem vida. O esposo foi preso 07/02/2019 às 10:25 - Atualizado em 07/02/2019 às 11:18
Show 48 9a7c656b a377 4ab5 9de2 f7f481570734
Foto: Divulgação
acritica.com

Uma mulher de 20 anos, identificada como Ione Costa dos Santos, foi morta com um tiro na cabeça disparado pelo próprio esposo, Eliseu Santana Pereira, 21, durante uma festa na noite desta quarta-feira (6), por volta das 23h50, no bairro Mauazinho, na Zona Leste da capital. O suspeito do crime foi preso.

De acordo com policiais militares da 29ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a vítima e o assassino estavam em uma casa na rua Guamá, antiga rua Seringal, no Mauazinho, quando o homem efetuou o disparo.

Segundo testemunhas, o crime aconteceu durante uma briga entre eles motivada por ciúmes. De acordo com populares, Eliseu começou a gritar com Ione desde o início da noite, chamando atenção da vizinhança. Em certo momento, ouviu-se o disparo de arma de fogo.

Segundo a Polícia Militar, após aitrar na esposa, Eliseu pediu ajuda a um vizinho para que prestasse socorro à mulher. Ione ainda chegou a ser socorrida e levada ao Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, mas já chegou à unidade hospitalar sem vida.

Eliseu também foi ao hospital em busca de notícias da esposa e, ao saber do óbito, tentou fugir. Após denúncias de populares, ele foi preso pela Polícia Militar e confessou o fato, acrescentando que havia entregado a arma de fogo a um amigo, que ainda não foi localizado. Não há informações se o homem possuía porte ou posse da arma de fogo.

No relatório do Instituto Médico Legal (IML), consta que Ione morreu de parada respiratória e traumatismo no rosto ocasionado pelo disparo.

Segundo a titular da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), delegada Débora Mafra, o homem já respondia por roubo e tráfico de drogas. “O homicídio, suposto feminicídio, será apurado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Ela nunca registrou nenhuma ocorrência de relacionamento abusivo, mas é muito triste essa situação. Ela já deveria viver um relacionamento abusivo, mas nunca denunciou”, disse a delegada.

O caso foi registrado na DEHS e, após os procedimentos cabíveis, o homem ficará à disposição da Justiça.

*Colaborou a repórter Márcia Monteiro

Publicidade
Publicidade