Sábado, 21 de Setembro de 2019
TEMPORÁRIA

Nejmi Aziz volta a ser presa e é conduzida para cela do CDPF

A ex-primeira-dama do Amazonas é um dos alvos da quinta fase da Operação Maus Caminhos, que investiga desvio milionários da Saúde do Estado



aagora_nejmi_EAB8B2D9-DE73-4CE7-A53E-2E4089CF6CDC.JPG Foto: Reprodução Internet
31/07/2019 às 08:49

A ex-primeira-dama do Amazonas, Nejmi Aziz, voltou a ser presa na manhã desta quarta-feira (31), em Manaus. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Administração Penitenciária do Amazonas (Seap). Ela é um dos alvos da quinta fase da Operação Maus Caminhos, que investiga a prática de crimes de corrupção passiva, lavagem de capitais e existência de uma organização criminosa que desviou recursos milionários da Saúde.

Segundo a Seap, a esposa do senador Omar Aziz passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) na manhã de hoje e foi conduzida para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), localizado no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista). 

Procurado pela reportagem, a defesa de Nejmi afirmou que iria procurar a Justiça para saber o motivo da prisão. "Houve uma decisão da Justiça, parece que o juiz mandou ela cumprir os restantes dos dias da prisão temporária, mas ainda vamos procurar saber", disse o advogado Washington Magalhães.

O juiz federal titular da 2 ª Vara Federal, Marllon Souza, fez se cumprir a determinação da 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) que derrubou a liminar, que concedia habeas corpus a Nejmi, e determinou o seu retorno à cadeia.

Segundo documento que a reportagem teve acesso, Nejmi Aziz precisa cumprir sua prisão temporária - decretada no dia 19 de julho - pelo prazo restante de dois dias. A esposa do senador do Amazonas deve ficar no CDPF até a madrugada desta sexta-feira (2).

Primeira prisão

Nejmi foi presa por ser alvo de uma nova fase da operação Maus Caminhos. Dois dias depois, a ex-primeira-dama do Amazonas deixou o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), após a desembargadora Maria do Carmo Cardoso, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), acolher parcialmente o pedido dos advogados de defesa, entendendo que “não se admite a prisão temporária sem que tenha sido apresentada fundamentação que revele a imprescindibilidade da cautelar para as investigações criminais”. 

Ex-primeira-dama

Em 2018, a ex-primeira-dama e o marido foram citados por uma delatora na investigação da Operação Maus Caminhos. Omar negou parentesco com Mouhamad Moustafa, principal alvo da primeira fase da operação ocorrida em novembro de 2016. Na ocasião, nenhum dois chegou a ser preso.

Fortuna declarada

Então candidata ao cargo de deputada estadual pela primeira vez, a ex-primeira-dama Nejmi declarou, ano passado, um patrimônio de R$ 30.329.324,86 (trinta milhões, trezentos e vinte e nove mil, trezentos e vinte e quatro reais e oitenta e seis centavos). A declaração consta no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A plataforma é alimentada com dados fornecidos pelo próprio candidato.

O patrimônio declarado por Nejmi Aziz superou à soma de todo o patrimônio dos seis candidatos à época ao governo do Estado. Em 2018, o então governador Amazonino Mendes (PDT) possuía R$ 3,4 milhões em bens; Omar Aziz (PSD) R$ 1,5 milhão; David Almeida (PSB) R$ 582 mil; Sidney Cabral (PSTU) R$ 163 mil; “Berg da UGT” (PSOL) R$ 65 mil; e Wilson Lima (PSC) R$ 55,9 mil. A soma total chega a R$ 5,7 milhões.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.