Terça-feira, 25 de Junho de 2019
VISITA

No segundo dia em Manaus, princesa Mako do Japão visita o Teatro Amazonas

Neta do atual imperador Akihito foi recepcionada pelo secretário de Cultura, Denilson Novo, e se impressionou com as instalações do teatro no Centro da capital



japonesa.jpg Princesa Mako visitou o Teatro Amazonas na manhã desta quarta-feira (25) (Foto: Antônio Lima)
25/07/2018 às 10:24

Cumprindo o segundo dia de agenda em Manaus, a princesa do Japão, Mako Akishino visitou na manhã desta quarta-feira (25) o Teatro Amazonas, no Centro da capital. A neta do atual imperador Akihito foi recepcionada pelo secretário de Cultura do Estado, Denilson Novo e pela cônsul-geral do Japão em Manaus, Hitomi Sekiguchi.

Em rápida aparição aos jornalistas que cobriam o evento, a princesa se mostrou surpresa com a estrutura arquitetônica do centenário teatro e risonha em alguns momentos. “É uma grande honra estar recebendo a princesa do Japão, país de raízes culturais milenares, e poder comemorar toda a influência dessa cultura japonesa com a presença de uma autoridade que visita o nosso maior símbolo cultural: nosso majestoso teatro”, declarou Denilson.

Ontem, Mako participou de um ato em celebração aos 110 anos da imigração japonesa no Amazonas. O evento aconteceu no auditório da Associação Nipo-Brasileira da Amazônia Ocidental, em Adrianópolis. O governador do Estado, Amazonino reafirmou a importância dos japoneses para o desenvolvimento da região, desde a chegada dos primeiros imigrantes, em Maués e em seguida, Parintins.

“A presença japonesa no Amazonas foi imprescindível, no cultivo da juta, nos tempos amargos da queda acentuada da borracha”, lembrou o governador em discurso. “Fico honrado que, pela segunda vez, recebo mais um membro da família imperial japonesa”.

O presidente da associação nipo-brasileira, Ken Nishikido lembrou que há 30 anos, o pai de Mako, o príncipe Akishino esteve em Manaus, em 1988, para as comemorações dos 80 anos da chegada dos primeiros imigrantes japoneses ao Amazonas, ocasião em que foi inaugurado o Museu de Ciências Naturais, no bairro colônia japonesa.

“Eu acredito que proporcionalmente, o Japão e os japoneses proporcionaram mais benefícios ao povo do amazonense pelo fato de ter trazido, não só uma cultura mais justa, mas ajudamos muito na vinda da Zona Franca de Manaus”, declarou.

Nishikido também mencionou o fato de que o Estado foi o único a promover uma audiência na Assembleia Legislativa para pedir perdão dos japoneses pelas perseguições que os imigrantes sofreram no País durante a segunda Guerra Mundial. “Então tenho muito a agradecer, e temos feito muitas contribuições por isso a presença dela (princesa) é tão marcante”.

Em breve discurso, a princesa Mako Akishino, de 26 anos, agradeceu a hospitalidade recebida em Manaus e se mostrou emocionada por visitar a cidade em que seu pai esteve há 30 anos.

“Nosso povo ajudou na economia do Estado com o cultivo da juta e, além disso, resistiu com força às longas viagens de barco rumo à Amazônia e soube enfrentar os rigores e os desafios locais”, disse. “Espero que essa história seja um legado para as próximas gerações. Desejo saúde e prosperidade na amizade entre Japão e Brasil”, concluiu a princesa.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.