Publicidade
Manaus
SEM DÉCIMO

Rodoviários pedem bloqueio de bens de patrões até pagamento de décimo

O representante dos Rodoviários disse que nenhuma negociação foi feita por parte dos empresários e Prefeitura de Manaus. “Os trabalhadores estão reivindicando o direito deles”, disse Givancir Oliveira 21/12/2018 às 16:26 - Atualizado em 21/12/2018 às 16:51
Show givancir aaa29ea1 fbc3 47e0 a8e6 53460ffb8e42
Givancir Oliveira durante coletiva. Foto: Antonio Lima
Izabel Guedes Manaus (AM)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM), Givancir Oliveira, informou em coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira (21) que os ônibus não vão voltar para as ruas caso não haja uma negociação com os empresários. Categoria pede ainda na Justiça bloqueio de bens dos patrões até pagamento do décimo terceiro.

“Até agora não existe uma previsão. Eles estão irredutíveis e querem uma resposta em relação ao pagamento. Isso foi negociado e disseram que iam pagar o décimo ontem. As duas parcelas do décimo. Isso não foi feito e os trabalhadores estão reivindicando o direito deles, pois também precisam receber”, disse Oliveira.

Sobre a população está sendo prejudicada, ele disse que tentaram não fazer greve e que essa era a última alternativa. “Fico muito triste com essa situação, mas infelizmente não teve o que fazer. Espero que a população entenda, pois muita gente já recebeu seu décimo e os Rodoviários não tem nada. Como  cidadão que trabalha o ano inteiro ele precisa receber o seu direito”, explicou.

Ainda segundo ele, nenhuma negociação foi feita por parte do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) e da Prefeitura de Manaus até agora. “Sem o pagamento ou um acordo para pagar não for feito, a greve não termina hoje”, ameaçou.

Transporte no mínimo

No início da tarde de hoje, apenas 6% da frota de ônibus do transporte público de Manaus está operando. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram). 

Mais cedo, de acordo com a assessoria do STTRM, a paralisação "caminha para 100%". Os veículos do transporte alternativo continuam circulando normalmente. Os alternativos e executivos 

Publicidade
Publicidade