Publicidade
Manaus
FALSIFICAÇÃO

Quadrilha é presa por vender certificados falsos de curso de motorista no Detran-AM

O curso original custa R$ 200, mas certificado clandestino era oferecido a R$ 600, valor pago por candidatos à habilitação porque muitos não conseguiam passar na primeira tentativa 12/02/2019 às 12:21 - Atualizado em 12/02/2019 às 12:30
Show f45a7ffe 7ead 4d90 862e ebace3a4d709 d177d9bb 1f5a 443d a605 e0c57b056e8b
Foto: Winnetou Almeida
Márcia Monteiro Manaus (AM)

Marlisson Silva de Menezes, 33, Jorcilande Santos Porto, 39, e Anthony Rodrigues Borges, 48, foram presos pela Polícia Civil por fazerem parte de uma quadrilha especializada em produzir e vender certificados falsos do Curso de Movimentação de Produtos Perigosos (MOPP), necessário para habilitação de motoristas de carga perigosa junto ao Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM).

Segundo o delegado Raul Neto, titular do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Jorcilande e Marlisson agiam no entorno da sede do Detran-AM, em Manaus, oferecendo o esquema, enquanto Anthony comandava o bando. A polícia começou a investigá-los após o próprio Detran-AM desconfiar e perceber que vários motoristas e solicitantes do curso estavam entregando documentos falsos para conseguir habilitação.

O curso é oferecido em Manaus pelo Sest/Senat e custa R$ 200. Entretanto, o bando oferecia o certificado falso por R$ 600, valor pago por candidatos à habilitação porque muitos não conseguiam passar na primeira tentativa. Segundo a polícia, os motoristas viam o documento  clandestino como uma forma mais rápida de adquirir a permissão de dirigir.

As prisões começaram por Jorcilande, que aguardava em via pública para fazer a entrega de mais um certificado falso. Ele foi abordado e levou os policiais até a casa de Marlisson, onde também funcionava uma gráfica para produzir os documentos clandestinos. Lá, foram encontrados mais certificados falsificados. Em seguida, a dupla levou os policiais até Anthony, onde foram encontrados centenas de documentos que seriam usados para conseguir habilitação dentro do esquema.

O trio foi autuado em flagrante por falsificação de documento e associação criminosa. Após procedimentos legais na delegacia, eles serão levados para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch Reis, em Manaus.

Publicidade
Publicidade