Sábado, 20 de Julho de 2019
PM

Quem são os policiais militares envolvidos no duplo homicídio em Manaus

O tenente Joselito Pessoa, comandante da 18ª Cicom, atirou e matou o sargento Elizandro Louzada e o cabo Grasiano Negreiros. Um major e um civil também foram baleados, mas sobreviveram



1546719348195339_3CDDF152-3D6A-49F7-BAB2-313FBDA579E9.JPG Da esquerda para direita: tenente Joselito, sargento Elizandro e o cabo Grasiano (Foto: Divulgação)
05/01/2019 às 16:40

O assassinato de dois policiais militares cometido por um tenente “chefe” deles em Manaus, na madrugada deste sábado (5), causou repercussão devido às circunstâncias do fato. As duas vítimas fatais, um sargento e um cabo, e mais duas pessoas que sobreviveram, sendo uma delas um major, foram alvos de tiros disparados pelo tenente Joselito Pessoa Anselmo, comandante da 18ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), responsável pelo policiamento na região do bairro Novo Israel, Colônia Santo Antônio e adjacências. O tenente, o primeiro da foto acima, foi preso.

As duas vítimas, o sargento Edizandro Santos Louzada, de 40 anos, na foto de camisa regata, e o cabo Grasiano Monte Negreiros, 36, fardado, trabalhavam para o tenente Joselito na 18ª Cicom. Edizandro morreu após levar um tiro na cabeça e o cabo Grasiano foi alvejado na nuca. Todos eles estavam dentro do mesmo veículo, uma viatura descaracterizada da Polícia Militar que estava sendo usada em momento de lazer – eles voltavam de uma festa.

Além do tenente comandante da 18ª Cicom e das duas vítimas fatais, estavam na viatura mais duas pessoas que também foram baleadas, mas sobreviveram: o major Lurdenilson Lima de Paula, de 40 anos, que foi baleado no ombro esquerdo e corria risco de ficar paraplégico, e um civil, o autônomo Robson Almeida Rodrigues, 25, que trabalhava para o cabo Grasiano e foi atingido por projétil na mão.

Como aconteceu

Tudo aconteceu por volta das 2h de hoje na rua Monte Horebe, bairro Colônia Santo Antônio, Zona Norte da capital. Segundo informações divulgadas pela própria polícia, todos os envolvidos, vítimas e suspeito, estavam na viatura descaracterizada voltando de uma comemoração. Dentro do veículo foram encontradas diversas bebidas alcoólicas.

O automóvel estava sendo conduzido pelo cabo Grasiano e todos seriam levados para casa, quando, em certo momento, houve um desentendimento entre eles. Durante a briga, de acordo com a polícia, o tenente Joselito efetuou um disparo na nuca do cabo Graziano, que perdeu o controle do veículo e acabou capotando. O sargento Edizandro foi atingido com um tiro na cabeça e ainda chegou a ser levado a uma unidade de saúde, mas não resistiu.

O major Lurdenilson, que foi baleado no ombro esquerdo e a bala ficou alojada no lado direito do corpo, segue hospitalizado. O autônomo Robson Almeida recebeu alta hospitalar.

Preso em flagrante

Joselito foi preso em flagrante por policiais da Força Tática que patrulhavam a área no momento do crime. Ao ser preso, ele alegou que as vítimas foram baleadas por ocupantes de um veículo prata que atacaram o Voyage dos policiais militares, versão contestada pelo major. Os PMs da Força Tática que prenderam o tenente Joselito também relataram que não observaram na lataria do carro Voyage perfurações de tiro externo.

Após ser preso, o tenente suspeito do duplo homicídio foi levado ao 6° Distrito Integrado de Policia (DIP), onde foi apresentado. Depois ele passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e por exame de resíduos de pólvora nas mãos, cujo resultado não tem prazo.

Hoje de manhã, ele foi conduzido para ser ouvido na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que investiga o caso, e, depois, foi levado para a sede do Batalhão de Choque situado na rodovia BR-174, onde permanecerá à disposição das autoridades.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.