Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021
SEM PREVISÃO

Segunda leva de doses da vacina para Manaus segue sem data definida

Todas as 40.072 doses da Coronavac já foram divididas entre povos indígenas aldeados e profissionais de saúde da capital. Nova distribuição depende de definição do Ministério da Saúde



f0d16405-198a-4845-ace7-3213c1a62cff_035A43B1-F210-4CB3-83AC-753617D38847.jpg Informação foi confirmada pela titular da Semsa, Shádia Fraxe. Foto: Junio Matos
19/01/2021 às 12:38

Não há previsão de Manaus receber uma segunda leva de doses da vacina contra a Covid-19. Foi o que afirmou, na manhã desta terça-feira (19), a secretária municipal de saúde, Shádia Fraxe, que ressaltou o público prioritário durante o primeiro momento de vacinação, na capital. 

No total, Manaus conta com 40.072 doses da vacina Coronavac, produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, destinadas ao município pelo Ministério da Saúde.



“Não temos uma previsão de próxima leva no momento. Todas as doses já foram divididas entre os povos indígenas aldeados e profissionais de saúde da capital. Essa redistribuição foi definida pelo Ministério da Saúde e nós temos que acatar e aguardar novas doses”, disse ela, que ressaltou a quantidade reduzida de vacinas para a capital.

“As pessoas querem tomar a vacina para ontem, mas infelizmente isso não depende só de nós. É necessário que o Brasil inteiro tenha essa distribuição, nós tivemos a nossa, vamos aguardar a produção de mais vacinas. Nós estamos esperançosos em receber em breve para conseguir cumprir as nossas metas e deixar a população mais tranquila em relação a isso”.

Aplicação gradativa

De acordo com o Plano Municipal de Imunização contra a Covid-19, que atende ao que foi estabelecido pelo Plano Nacional e pelo Informe Técnico da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19, emitido nesta segunda-feira, 18/1, todos os trabalhadores da saúde serão contemplados, mas a vacina será ofertada de forma gradativa e de acordo com a disponibilidade do produto no País.

Os demais grupos da população-alvo serão vacinados na ordem de prioridade e de acordo com fases pré-definidas e que incluem pessoas acima de 60 anos internadas em instituições de longa permanência, pessoas com deficiências que moram em instituições de assistência (ainda Fase 1); pessoas que têm entre 60 e 74 anos, grupos de risco a partir de 60 anos (fase 2), pessoas de qualquer faixa etária com comorbidades (fase 3), professores, força de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade (fase 4).

A definição dos grupos leva em conta, entre outros fatores, o maior risco de desenvolvimento de formas graves e óbitos por Covid, o maior risco de infecção, a manutenção dos serviços de saúde, a capacidade de atendimento à população e a manutenção dos serviços essenciais.

O cronograma de aplicação das doses nas demais fase da campanha só poderá ser elaborado após o envio de novas remessas de vacina. Os locais de vacinação também só serão confirmados pela prefeitura após o fechamento do cronograma, mas já está definido que serão espaços públicos amplos e de fácil acesso.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.