Publicidade
Manaus
ALERTA

Sobe para 5 o número de casos suspeitos de sarampo em Manaus, diz Semsa

Novo caso foi confirmado na manhã deste sábado (10) pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Nessa sexta-feira (9), a FVS-AM havia descartado dois casos notificados no Estado 10/03/2018 às 17:28 - Atualizado em 11/03/2018 às 09:21
Show sar
Foto: Agência Brasil
acritica.com* Manaus (AM)

O número de casos suspeitos de sarampo em Manaus, sob investigação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), subiu para cinco. O mais recente foi identificado na manhã deste sábado (10). Todos são crianças (duas do sexo masculino e três do sexo feminino), residentes na área territorial do Distrito Norte de Saúde, com idades que variam de quatro meses a um ano.

Os pacientes ainda não foram imunizados contra a doença, porque o Ministério da Saúde preconiza a aplicação da primeira dose da vacina tríplice viral (VTV) a partir de um ano de idade, apenas.

Nessa sexta-feira (9), a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) havia descartado dois casos notificados no Estado – um em Manaus e outro de Anori (a 195 quilômetros da capital).

A Semsa está fazendo o acompanhamento dos casos e iniciando a ação de bloqueio, que consiste na investigação de todo o percurso feito pelo paciente, e que começa dois dias antes da notificação.

Os técnicos da secretaria observam, ainda, as pessoas com as quais o paciente teve contato, se houve deslocamento para fora da cidade e/ou bairro onde mora, caderneta de vacinação de todas as pessoas que tiveram contato com o doente, além de fazer a vacinação seletiva.

“Nossas equipes estão a postos, agindo logo que são informadas da notificação. A orientação é que nossa ação seja rápida e eficaz, porque, com o bloqueio, fazemos essa vacinação seletiva e conseguimos quebrar a cadeia de transmissão do vírus, forma mais efetiva de impedir a propagação da doença, caso surja”, assegura o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

Na manhã de hoje, técnicos do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) e Núcleo de Imunização, ambos do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (DEVAE), do Distrito de Saúde Norte (DISA Norte) e da FVS-AM estiveram reunidos para traçar a estratégia de “varredura” em todo o território de abrangência do distrito, uma intensificação vacinal que deve começar ainda essa semana.

A ação incluiu o mapeamento de toda a área, definindo os quarteirões e suas dimensões, para que as equipes da Semsa façam o trabalho de vacinação casa a casa.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que a zona Norte de Manaus tem cerca de 500 mil habitantes. Os casos em investigação ocorreram no Santa Etelvina (2), Monte das Oliveiras (2) e Comunidade São João, no KM 04 da BR-174 (1).

Os profissionais da Semsa encarregados de fazer esse trabalho estão sendo orientados, inclusive, a observar a existência de possíveis casos de doenças exantemáticas que ainda não tenham sido notificados. “Estamos redobrando a atenção e, nesses casos, orientando que o doente seja levado para a Fundação de Medicina Tropical, unidade de saúde indicada como referência pela Fundação de Vigilância em Saúde, a FVS”, explica Marinélia Ferreira, diretora do DEVAE.

Reforço da vacina

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, transmissível, causada por vírus. É de notificação compulsória imediata. Desde o início da semana, a Prefeitura de Manaus, por meio da Semsa, está intensificando a vacinação contra o sarampo em todas as 185 salas de vacina, sendo 183 nas Unidades Básicas de Saúde do município e duas particulares.

O reforço considera os alertas emitidos pela Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (MS), inclusive em conjunto com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), referente ao surto de sarampo no Estado de Bolívar, na Venezuela, fronteira com Roraima, informando a notificação de 857 casos suspeitos de sarampo, com a confirmação de 465 casos.

As equipes de Vigilância em Saúde do município estão orientadas a observar todo paciente que entre em unidade de atendimento de saúde com queixa de doenças que se enquadrem como exantemática febril.

Orientações à comunidade 

A Semsa orienta a população a receber as equipes quando tiver início o trabalho de vacinação; que deixe à mão as cadernetas de vacinação dos moradores, principalmente das crianças; que siga as orientações recebidas dos técnicos; que informe, caso haja suspeita de sarampo ou rubéola em algum morador; e, no caso de pais com crianças menores de um ano de idade, que evitem locais de muita aglomeração, como shoppings, feiras, praças e etc.

Publicidade
Publicidade