Publicidade
Manaus
VIVER MELHOR

SSP deflagra segunda fase de operação contra o tráfico e facções no Viver Melhor

De quarta (26) até hoje a polícia já prendeu traficantes, foragidos da Justiça, membros de grupos criminosos e apreendeu ilícitos como drogas, armas e veículos roubados 28/12/2018 às 10:06 - Atualizado em 28/12/2018 às 12:16
acritica.com Manaus (AM)

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) deflagrou na manhã desta sexta-feira (28) o terceiro dia de trabalhos da Operação Treme Terra, que tem objetivo de combater a atuação de traficantes de drogas, foragidos da Justiça, membros de facções criminosas e outros ilícitos no Conjunto Habitacional Viver Melhor, bairro Santa Etelvina, na Zona Norte de Manaus.

De quarta (26) até hoje a polícia já prendeu suspeitos de diversos crimes e, inclusive, apreendeu entorpecentes, armas e veículos roubados. O Viver Melhor tem sido alvo constante de traficantes, integrantes de organizações criminosas e ponto de “desova” de cadáveres. Segundo denúncia que já foi noticiada por A CRÍTICA, bandidos estavam até expulsando os moradores de dentro das casas.


Foto: Jander Robson

Na etapa de hoje da Operação Treme Terra são cumpridos mandados de busca e apreensão não só no Viver Melhor como em comunidades adjacentes, Paraíso Verve e Monte Horebe. A ação de hoje conta com o apoio de policiais da Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), Companhia de Operações Especiais (COE), Batalhão Ambiental, Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), Choque, delegados e investigadores.

Na quarta-feira (26), primeira fase do Treme Terra, 17 pessoas foram presas e um adolescente apreendido no Viver Melhor, a maioria por envolvimento com o tráfico de drogas. Na ocasião a polícia encontrou armas de grosso calibre, porções de entorpecentes e até bebidas falsificadas.

Um desses presos foi Emerson Wiliam Lima Saldanha, conhecido como “X-Salada”, que estava com mandado de prisão em aberto e é apontado pela polícia como autor de três homicídios na capital, sendo um deles o de uma dona de casa identificada como Berenice Silva do Carmo, em 2016. Ele também é responsável, segundo a polícia, pelo fornecimento de drogas nas comunidades Monte Horebe, Estrela de David, Paraíso Verde e parte do Buritizal.


Foto: Jander Robson

Publicidade
Publicidade